Colunas

Coluna do Mazzarino

08/02/2017 16:07:29

Flores para os leitores: Júlio Cesar Klock, Luis Carlos Gonçalves e Tiago Pedrazzane
 
“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças.” (Charles Darwin - naturalista britânico)
 
Crônica 
Olhar feminino
É de manhã. Estou num grande parque de uma capital do Brasil. Fui caminhar, pois a agenda definia uma tarde que pedia concentração e cabeça leve para debates.  
 
O parque é sinal de foco na qualidade de vida da população e visão de quem governa. Dezenas ou centenas de pessoas se cruzam em ações coletivas ou individuais. Gente de todos os estilos. Ver os tipos humanos que circulam, e suas posturas, mostram diversas das muitas caras de uma cidade.
 
No meio da multidão, muito distante, caminha uma mulher, num amplo caminhódromo que se espraia em formato circular a perder de vista.
 
Ela se mistura entre dezenas de outros caminhantes que fazem das manhãs um ponto de reflexão para as ações do dia.
Bela e elegante, o que chama a atenção é o seu conjunto. Bonita pele, morena, estatura média/alta, discreta nas roupas de marca, óculos grandes e boné encobrindo o rosto.
 
Sim, era uma bela mulher, daquelas que você imagina que não tenha problemas. Mas o que gritava nela não era seu desenho estético. Eram seus passos e ensurdecedor silêncio. Vi uma solidão que pedia colo, amparo e ouvido.
 
O fato aconteceu no ano passado e lembrei dela nesta semana, pois vi uma solidão semelhante àquela. Em locais distintos, em situações diferentes, vi em duas outras belas mulheres o mesmo vazio.
 
Espero que isto seja uma equivocada observação, mas são sinais de que um outro olhar está nascendo e tal choque, nas análises mais radicais e almas mais sensíveis, está perturbando o universo feminino.
 
A eleição do Consisa e os bastidores
Uma reunião em Estrela, na sede da Amvat, definiu o novo comando do Consisa, entidade que coordena o gerenciamento das secretarias da Saúde na região. Os prefeitos, entre si, escolhem um nome para o cargo.
Disputaram a vaga os prefeitos Celso Kaplan (PP), de Imigrante, e Adroaldo Conzatti (PSDB), de Encantado.
Aqui algumas observações de bastidores:
 
Curtas:
- A votação, como a foto mostra, foi repleta de sorrisos e gentilezas. Porém, representa uma meia verdade.
 
- A eleição foi vencida por Conzatti que fez 23 votos e Kaplan, 10 votos.
 
- Inicialmente havia uma construção de consenso, onde Kaplan seria o indicado conforme acordo. Mas a tese não prosperou.
 
- No PP surgiram interesses de não apoiarem  Celso Kaplan.
 
- O PMDB da região decidiu se unir para combater Kaplan sob o argumento de que Kaplan tinha o apoio do secretário da Saúde de Estrela, Elmar Schneider (PTB).
 
- Neste item, siglas como PT e  PSDB foram acionados.
 
- O prefeito de Encantado, Adroaldo Conzatti (PSDB), que estava na chapa de Celso Kaplan (PP), mudou e passou a integrar candidatura própria.
 
- O prefeito de Estrela, Rafael Mallmann (PMDB), em férias, e portanto ausente, recebeu críticas, veladas. Segundo petistas e peemedebistas, devia estar na eleição.
 
- Pelo que foi observado as eleições de 2018, que só acontecem no próximo ano, já iniciaram.
 
- Cargos, demarcação de territórios e vetos a lideranças parece ter sido o roteiro. E foram encobertos pelos discursos e sorrisos para microfones e fotografias.
 
- O grupo de Kaplan é formado pelos municípios da região baixa, que são os de maior população. E as verbas do Consisa, via municípios, são calculadas pelo número de habitantes. Assim, pode estar surgindo uma divisão no Consisa e a formação de um novo grupo.
 
- Ou seja, a classe política do Vale do Taquari já é dividida pela sua natureza. Com a crise no Consisa, a divisão se amplia.
 
- O vereador e advogado de Estrela, Darlã Bellini (PSB), articulou ser vice-presidente da Mesa do Legislativo. E depois de eleito não permaneceu na função. Como integrante da Mesa, ele não podia advogar, segundo a OAB. Bellini podia ter evitado o desgaste desnecessário.
 
 Nas vizinhanças de Estrela, há candidatos, com longa experiência, que ainda não fecharam as contas da campanha eleitoral. 
 
 
No Legislativo de Estrela....
O vereador Norberto Fell (PPS), recém eleito, também advogado, reclamou  da redação dos projetos do Executivo. Em paralelo, nesta semana, uma emenda de Fell foi julgada inconstitucional pela comissão interna do Legislativo. O vereador Fell apresentou uma emenda a qual criaria Função Gratificada no Executivo. A função de vereador não pode criar despesa para o município e nem FG. CONCLUSÃO: agora os vereadores estão pedindo que ele qualifique a apresentação de suas emendas.
 
Amores paralelos
Futebol e sexo
Numa cidade da região, banhada pelo Rio Taquari, a turma decidiu confraternizar  naquelas tradicionais festas de final de ano, reunindo turma de amigos.
Uma destas turmas, em específico, decidiu inovar. Era a turma do futebol e um deles sugeriu a presença de moças da vida noturna. A ideia prosperou e foram convidadas 11 “atletas” da luz vermelha, indicadas por uma agência do setor.
Diante do plantel o que era um jogo virou um torneio.
Os atletas, alguns, passaram a se preocupar com um bom desempenho na “partida”. Por precaução, estiveram conversando com um profissional da saúde questionando o uso da famosa pastilha azul. É que a turma de jogadores estava na faixa dos 60 anos, então a preparação é parte estratégica de uma boa partida.
As moças chegaram e ao observarem o plantel adversário concluíram que seria um amistoso, um joguinho leve entre amigos. Coisinha breve, regada a churrasco.
 O detalhe é que o profissional da saúde observou ao técnico do time de seniors que diante do quadro a melhor solução seria um outro comprimido, que atende todo o tipo de serviço bruto.
Resumindo, para evitar detalhes, teve atleta fazendo três gols e outros pedindo prorrogação de tanto dedicação ao futebol. Outros mais filosóficos promoveram a prática de que “a boa tática do futebol é ocupar espaços, todos os espaços”.
No diga seguinte, a dona da agência ligou para o presidente da turma pedindo um adicional pelas horas extras e por lesões localizadas, pois algumas “atletas” ficaram em recuperação, sem condições de jogo para as semanas seguintes.
Conclusão, vale a máxima, o futebol é uma eterna caixinha de surpresas.

Leia nosso NG online: http://jornalng.com.br/pageflip/Main.php?MagID=1&MagNo=260 Página 23