Polícia

Personagens de Estrela: Passadas noturnas

04/05/2012 - Polícia

O inverno já dá sinais de sua força. O Centro de Estrela, à noite, fica ainda mais quieto. Um pequeno soar de vozes, uma ou outra risada em baixo tom, e o acelerar de um carro, quebram um pouco este sereno cenário. Ao longe, o vulto de alguns homens vai se dissipando a medida que eles se aproximam de mais um poste de luz. Já sob a iluminação, o rosto de três companheiros refletem sorrisos. Nilson Rudi Gerhardt (59), Hermilo José Pretto (70) e Klaus Simon (56), como ainda na esporádica companhia de Nelson Wingen (56), se reúnem todas as noites para um caminhar pelas ruas de Estrela. Faça frio ou calor, seja Primavera ou no Outono, estão sempre num constante passo a passo a dividir histórias, experiências, a garantir a boa forma e o direito à opinião, mas acima de tudo, a manter um laço de amizade e uma saudável tradição.

As caminhadas já são comuns aos olhos de outros moradores. Sempre tem horário e percurso traçado. Isso para que, caso um deles se atrase, já saiba a que altura encontrar os amigos. Começa em torno das 21h e dura aproximadamente 60 minutos. A reportagem do jornal Nova Geração acompanhou o trio pelo caminhar na última quarta-feira. Fazia frio, mas isso não foi problema. “Assim a gente se esquenta. Preferimos até o frio ao calor”, destaca Simon, químico, eleito pelos demais como o porta-voz do grupo. Todos garantem que caminham há muito tempo, “Isso começou há vários anos. Uns já faleceram, outros se incorporaram. E assim estamos há anos”, diz o aposentado Gerhardt, ex-comerciante do ramo de fotografias. “Não é nada que foi organizado. Apenas começou com alguém e hoje damos continuidade”, afirma Pretto, que cita os nomes de Telmo Fritsch, Bruno Behs, Lídio Fauth, Tarcilo Gerhardt e Darci Benemann como alguns dos pioneiros. “Eu comecei quando minha ex-mulher parava tudo para ver novela. Eu não gostava, então saia para caminhar”, afirma Simon.

O receio de assaltos, visto o aumento da violência, não os intimida. “Nunca aconteceu nada e esperamos que siga assim. Muita gente acha que estamos é vigiando. E não deixa de ser verdade”, conta Gerhardt. Entre os temas do bate-papo, política, economia, “a salvação do mundo”, dizem em coro. Mas uma pauta é rotineira: esporte. O futebol é o preferido, mas mesmo nas noites em que a discussão poderia crescer em energia, como em dia de Gre-Nal, a calma se mantém. “Todos torcem pelo mesmo time por coincidência: o Inter. Então ninguém xinga ninguém”, brinca Pretto. Quando um falta? “Faz falta”, afirmam.

O Centro
As quadras centrais como ambiente para as caminhadas, e não o Parque Princesa do Vale, por exemplo, tem uma explicação. “Fica perto de nossas casas, ainda é mais seguro, está tudo iluminado, e podemos encontrar uma ou outra pessoa conhecida”, lembra. Sobre as mudanças percebidas no diário trajeto, muitas. “A cidade cresceu, está se renovando. Os casarões antigos estão dando espaço a prédios. Algo normal nos dias de hoje”, atesta Gerhardt. Comerciante e ex-funcionário da Polar, Pretto revela que a noite foi escolhida justamente por sua tranquilidade. “O horário favorece a presença de todos. É também mais tranquilo, dividimos as calçadas com poucas pessoas, atravessamos as ruas com mais facilidade”, diz. Para Simon, isto é cultural. “Morei na Alemanha. Isso ocorre lá também. O povo alemão não abre mão da companhia da sua família à noite. Prefere ficar em casa a ir a um bar, por exemplo”, garante. “Olhe, só tem mais aquelas duas pessoas ali”, confirma Gerhardt, apontando para um casal que olhava uma vitrine. E a proposta de dar uma parada, para justamente apreciar a vitrine de uma loja ou espichar a conversa num bar, não agrada a eles. “Que nada, isso não é com a gente”, diz um, em tom de brincadeira. “O nosso negócio é caminhar”, atesta outro, com confiança. “E vamos seguir o passo, pois ainda faltam quatro voltas...”, incentiva o último. 

Esta reportagem foi uma sugestão de um leitor. Faça o mesmo. Envie sua ideia para redacao@jornalng.com.br


Leia Também

Preso por tráfico em Bom Retiro do Sul

30/03/2020

Homem estava com um tijolo de maconha e pinos vazios para embalar cocaína

DP em reforma

21/02/2020

Inicialmente ocorrem adequações na alvenaria


Corpo é encontrado em avançado estado de decomposição

18/02/2020

Homem estava em sua residência, no Bairro Oriental em Estrela

Idosa morre após ser atropelada na área central de Estrela

07/02/2020

Ela atravessava a rua quando foi atingida por um veículo