Estado

Transporte

26/04/2013 - Estado

O Vale e Estrela na rota das ferrovias

 

O estudo Sul Competitivo que apresenta um diagnóstico de obras de infraestrutura e logística para os três estados do Sul do Brasil foi apresentado, quarta-feira (17), pelos dirigentes da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES-RS. São obras rodoviárias, hidroviárias e ferroviárias que totalizam mais de R$ 18 bilhões em investimentos. Uma delas a Ferrovia Norte-Sul, e o Vale do Taquari está em seu foco. 

 

O propósito seria o de planejar, construir e operar, sob controle público, ferrovias e sistemas logísticos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul. 

 

Ao entregar o estudo completo ao secretário do CDES, Marcelo Danéris, o presidente da Fiergs, Heitor Muller, reforçou a necessidade de investimentos em infraestrutura. “São projetos que perpassam vários governos para serem implementados e cuja execução está estimada para até 2025. São iniciativas que precisam da consciência da sociedade para sua operacionalidade.” 

 

De acordo com a Fiergs, o RS gasta até 18% do PIB em logística, índice que atinge 9% em países do hemisfério Norte. “Não há país competitivo sem infraestrutura adequada”, relatou o dirigente. O estudo de duas mil páginas foi realizado em 2010, medindo a movimentação de cadeias produtivas gaúchas. 

 

No modal ferroviário, entre as prioridades, está a ferrovia Norte-Sul, cujo projeto integra o PAC e está em fase de definição do traçado. No lote correspondente ao gaúchos, ela  também é denominada de Ferrovia da Integração do Sul S.A. (Ferrosul) devido ao grupo que venceu a sua licitação para viabilizá-la. No seu conjunto, será incorporada a Ferroeste, no trecho que compreende a ligação entre Guarapuava-PR e Cascavel-PR, formando assim a Norte-Sul.

 

O traçado pretende ligar o restante do país ao Porto de Rio Grande; e compreende tambem a reativação da ferrovia entre Garibaldi e Caxias do Sul, variantes ferroviárias entre Estrela e Rio Pardo; adequação do trecho entre Roca Sales e Passo Fundo; além de contornos na região de Santa Maria e Pelotas. 

 

 

Assembleia Legislativa e líderes atentos

 

O futuro das ferrovias no Rio Grande do Sul também foi tema de audiência pública realizada segunda-feira, no Plenarinho da Assembleia Legislativa, que lotou de pessoas interessadas em garantir a realização do projeto. 

 

Pela proposta apresentada por Bento Lima, diretor de operações da Valec Engenharia, o Vale do Taquari continua incluído no traçado. De acordo com Lima, a ferrovia deverá ingressar em Vacaria (vindo de São Paulo), com passagem pelo Vale do Taquari, e passar por Cruz Alta (proveniente de Toledo, no Paraná), também com passagem pelo Vale do Taquari. 

 

“Mais do que passar pelo Vale, a Ferrovia Norte-Sul receberá a produção agrícola e produtos de todo o país, aumentando a importância da região”, enfatizou o líder do PSDB na Assembleia Legislativa, deputado Lucas Redecker. “O desafio continua sendo tirar a obra do papel”, afirmou.

 

 

Na rota

 

O secretário municipal de Planejamento, Indústria e Comércio (Seplan) de Estrela, Marco Aurélio Wermann, participou da audiência. “O importante é que nos dois trajetos, o Vale do Taquari, e Estrela, está incluso. Devemos ficar atentos a cada decisão para que tudo saia do papel”, destacou. “Não nos foram dados mais detalhes técnicos, mas a mesma empresa que estudou a duplicação da BR-386, realiza estudo do impacto financeiro e de sustentabilidade do projeto”, finalizou ele. 

 

Para o prefeito de Roca Sales, Nélio Vuaden é preciso unidade entre as lideranças regionais para que o traçado que passa pelo Vale do Taquari seja de fato mantido. “Estamos em uma localização estratégica, junto a BR-386, com o Porto de Estrela e com fácil acesso a outras regiões do Estado. Temos a estrutura pronta, necessitando apenas ser adaptada”, afirmou Vuaden.

 

 

Hidrovia Brasil-Uruguai em debate

 

Será realizada hoje, a partir das 9h30min, um encontro que pretende debater as melhorias previstas pelo projeto Hidrovia Brasil – Uruguai. A reunião será realizada na Sala 514, auditório da Reitoria da Univates, em Lajeado. O objetivo do encontro é apresentar ao Vale do Taquari, grande interessado nesta hidrovia, as últimas notícias relacionadas ao projeto Hidrovia Brasil – Uruguai. Ele se insere no conjunto de reuniões que está sendo realizado nas diversas regiões abrangidas, visando a elaboração do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) da Hidrovia, coordenado pela Administração das Hidrovias do Sul (AHSUL). A atividade é parte do projeto da mencionada hidrovia e se destina a auscultar as populações abrangidas sobre o empreendimento e colher impressões, sugestões e propostas da sociedade local que compatibilizem seus anseios aos do projeto proposto.


Leia Também

Começa nesta semana pagamento de R$ 500 por conta do FGTS

09/09/2019

Cerca de 33 milhões de trabalhadores receberão o crédito automático na conta poupança

Inscrições para o 1º concurso de Aplicativos e Games das escolas estaduais terminam no dia 12

02/07/2019

Premiação inclui valor em dinheiro, medalhas e uma viagem


Receita Estadual intensifica em todo o Estado operações contra inadimplência do IPVA

03/06/2019

Depois de 60 dias em atraso, ocorre a inscrição em dívida ativa, quando há acréscimo de 5% sobre o valor do tributo não pago.

Pente-fino do INSS pega segurados de surpresa

08/11/2018

Nem todos os beneficiários são comunicados pelo INSS; Em pouco mais de dois anos, oito de cada dez auxílios-doença analisados foram suspensos