Estado

Produção autorizada

08/06/2013 - Estado

Mainardi apresentou novo modelo durante a solenidade, conferida de perto pelo prefeito Mallmann/ Fre

Latvida ganha direito de reabrir

 

Faltando cinco dias para completar um mês de produção parada, a Latvida marca o reinício das operações implantando o novo sistema de coleta de leite junto aos produtores. Na presença do Secretário de Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa), Luiz Fernando Mainardi, a direção da fábrica foi incluída no programa que prima pela rigidez no controle da qualidade do leite. A assinatura ocorreu na sede do Executivo, na tarde de quarta-feira. 

 

O secretário Luiz Fernando Mainardi diz que o maior problema na cadeia produtiva do leite está na baixa quantidade do produto no mercado. Para ele, a fraude de adição de água e ureia, deflagrada pela operação Leite Compen$ado, conduzida pelo Ministério Público, não seria viável se a oferta de leite tornasse o mercado autossustentável. “Hoje existe uma disputa entre as empresas, tanto que a Latvida tinha uma produção de 300 mil litros e hoje recomeça com cem. Sempre existe essa busca por leite que torna a cadeia complicada e amplia a possibilidade de fraude”, define. 

 

Segundo o prefeito Rafael Mallmann, Estrela tem uma das mais antigas e importantes bacias leiteiras do Estado. “São 36 milhões de litros de leite produzidos por ano. A reabertura da Latvida é estratégica para nós, justamente pela importância da atuação da empresa no município”, destaca. Mallmann reforçou que o Executivo acompanhou de perto a situação da empresa e se manteve apreensivo por conta do fechamento. De acordo com a prefeitura, a Latvida é a 6ª maior empresa em retorno do ICMS da cidade, tendo vinculado 1,6 mil produtores e 300 empregos diretos. 

 

 

Produção liberada

 

Como a Latvida cumpriu as exigências sanitárias feitas pela Divisão de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) ao assinar termo de compromisso de adesão ao Programa de Coleta à Granel, a empresa recebeu o prazo de 60 dias para apresentar um plano de trabalho detalhando os passos que adotará para atender as determinações legais. A operação na planta iria começar ontem.  

 

Para o porta-voz da Latvida, Paulo Pereira, a indústria assume a “maior idade”, passando o episódio de ter a produção proibida, a partir do escândalo da fraude do leite. “Não tivemos nenhum produto contaminado, não fomos obrigados a retirar nenhuma caixa de leite das gôndulas dos supermercados. Nossa marca foi envolvida sem que houvesse provas”, contesta. Pereira afirma que a Latvida foi punida por uma “desobediência”, pela possibilidade de ter distribuído lotes fabricados entre 1º e 23 de abril, quando a fabricação do leite integral estava suspensa pelo Cispoa. “Nenhum dos testes feitos em laboratório apontou que esses produtos estavam contaminados. E temos a certeza de que mais de 90% dessa produção se quer deixou a fábrica em Estrela.” 

 

 

Testes

A empresa não reconhece a análise feita pelo laboratório da Univates, onde teria sido detectada a presença de formaldeídeo no leite. “Outro laboratório, também credenciado pelo Estado, fez análises e não detectou nada. Outras duas marcas da Latvida  – Gulag e o Só Milk –, do mesmo lote, não apresentaram nenhuma irregularidade”, justifica. O posicionamento da empresa é dizer que o teste apontado pelo laboratório da Univates é um “falso positivo”. 

 

 

Entenda o novo transporte

 

A coleta de leite a granel parte da identificação de todos os produtores, com endereço e informações sobre a produção diária de cada um. Esses dados vão gerar um “mapa” do leite. “As condições de como ele é guardado na propriedade, a frequência com que o leite é coletado na propriedade estão entre as ações conjuntas com o produtor”, antecipa Mainardi.

 

A portaria 89 – que regulamenta o novo transporte – ,assinada com a Latvida prevê uma série de exigências no caminhão que transporta o leite. O motorista passará por uma capacitação, que será oferecida pelas empresas e terá um cadastro junto a Seapa. Assim, segundo Mainardi, o novo sistema termina com os “atravessadores”, responsáveis pela fraude. 

 

 

 

Novo coordenador da Agricultura

 

O ex vice-prefeito de Progresso, Luiz Fernando Dalcin foi empossado como novo coordenador da Regional de Agricultura no Vale do Taquari. Ele será o interlocutor das políticas públicas do Estado para o campo na região. Dalcin assume o posto, na hora do “recomeço” da Latvida e fala em “olhar” para frente. “É uma satisfação para nós estarmos representando um setor tão importante para a economia na região. Vamos recomeçar um ciclo, assim como a empresa (Latvida) que reabre sua produção.” 

 

Dalcin é médico-veterinário e veio para o Vale do Taquari em meados da década de 1980, para trabalhar na Cooperativa Languiru. Além da coordenadoria da Agricultura – com sede em Estrela – ele participa das Câmaras setoriais da Avicultura e Suinocultura junto ao governo do Estado. 


Leia Também

Vigilância passará a testar para o coronavírus apenas casos internados

23/03/2020

Decisão do Estado foi publicada na manhã desta segunda-feira

Mudança retira a possibilidade de parcelamentos no IPVA

04/11/2019

Mudanças foram anunciadas nesta segunda-feira


Começa nesta semana pagamento de R$ 500 por conta do FGTS

09/09/2019

Cerca de 33 milhões de trabalhadores receberão o crédito automático na conta poupança

Inscrições para o 1º concurso de Aplicativos e Games das escolas estaduais terminam no dia 12

02/07/2019

Premiação inclui valor em dinheiro, medalhas e uma viagem