Colinas

37 anos dedicados à Paróquia de Corvo

Além das atividades pastorais, religioso uniu forças e se dedicou à emancipação de Colinas, que pertencia ao território de Estrela

29/12/2017 - Colinas

Natural de Feliz/RS, na localidade do Vale do Lobo, Irineo Boettcher morou com a família nos municípios de Dois Irmãos e Morro Reuter. Já nesta fase da adolescência, o estudo da Teologia passou a fazer parte de sua vida, quando aos 13 anos foi estudar no Instituto Pré-Teológico, em São Leopoldo. Em 1979, formou-se em Teologia pela hoje Faculdades Escola Superior de Teologia (EST) e no dia 15 de agosto de 1980 foi apresentado à Paróquia Evangélica de Corvo, que na época era distrito de Estrela. Na paróquia, que abrange três comunidades e diversos grupos, o pastor luterano trabalhou durante 37 anos, quatro meses e 16 dias.

Sobre sua permanência na paróquia, ele destaca sua principal motivação. “Creio que foi muito por causa da ‘cumplicidade’, da paróquia e a minha pessoa. Consegui me adaptar bem aos diferentes estilos de ‘ser’ de cada comunidade. Procurando conhecer ao máximo o rebanho que me fora confiado”, reforça.

O pastor lembra-se de uma cidade muito diferente da atual, e ele teve grande influência no processo de emancipação: “Vi Corvo como uma pequena vila com um potencial razoável de desenvolvimento. Lideranças políticas não faltavam. Juntando o desejo do povo por um melhor atendimento por parte do município mãe, viu-se a necessidade de procurar a emancipação.” E emenda: “isso deveria trazer a atuação dos políticos para bem perto do povo. Pelo menos, foi essa a nossa intenção ao criarmos a comissão de emancipação. Colinas não é grande em área geográfica e nem populacional. Mas a vontade do povo em querer se desenvolver faz Colinas ser o que é hoje, a Cidade Jardim”, acredita.

Muitas histórias

Como todo religioso, pastor Boettcher teve muitas experiências e tem muitas histórias para contar. Uma delas, que foi um episódio marcante no seu pastorado, que aconteceu no quarto dia após sua chegada, quando teve que realizar um sepultamento numa comunidade filial. Ele lembra que a saudação que recebeu ao chegar à casa mortuária foi uma pergunta formulada por alguém que estava no local: “quem é esse moreno”? E para a surpresa de muitos realizou todo o ato em língua alemã. “Alí comecei a conquistar os meus primeiros pontos”, relembra.

Família segue em Colinas

Também foi no município de Colinas que ele casou-se com Margrid Henriqueta Drebes, com quem teve um casal de filhos, Cássia Luíse Boettcher e Pedro Augusto Boettcher. Pastor Irineo integra o quadro de ministros do Sínodo Vale do Taquari. Ao se tornar pastor emérito, ele encerra as atividades na paróquia, mas ainda pode excercer funções do pastorado, quando solicitado. Pastor Boettcher e a esposa residiam na casa pastoral, mas a partir do início do ano passarão a morar na residência que adquiriram em Colinas.

Culto de Envio

No domingo, dia 31, às 20h, ocorre na comunidade do Centro de Colinas o culto de envio do pastor Boettcher, que assim concluirá suas atividades frente da paróquia local.

Confira a matéria completa na versão impressa.


Leia Também

Workshop Musical marcará atividade do Outubro Rosa e Novembro Azul

16/10/2018

Evento ocorre neste sábado, dia 20 de outubro, em Colinas

Colinas promove 1º Festival de Primavera

16/10/2018

Evento ocorre neste domingo, dia 21 de outubro


Herrmann segue no comando

11/10/2018

De nove vereadores, cinco foram a favor do arquivamento, três contra e um se absteve

Prorrogadas inscrições do concurso fotográfico de Colinas

08/10/2018

O tema desta edição é “Colinas: cultura, costumes e riquezas de um povo”