Polícia

Amor sem limite

08/06/2013 - Polícia

Claiton e Adriana: amor que ultrapassa a limitação/ frederico sehn/ o informativo do vale

Casal quebra o preconceito e dribla deficiência no altar

 

A história de Claiton Diogo Holz (26) e Adriana Seidel (25) poderia ser a de Eduardo e Mônica narrada por Renato Russo nos anos 1980. Qualquer semelhança, neste caso, não é mera coincidência. Eles se conheceram na sala de aula, na escola especial da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e, desde muito cedo, o amor persegue o casal que está prestes a dizer o “sim” na justiça Divina e dos homens. O casal que troca alianças de noivado no Dia dos Namorados inspira acreditar que o amor existe e se manifesta nas mais diferentes versões.

 

Tudo conspirava contra o romance de Claiton e Adriana. Os dois nasceram com retardo intelectual. A mente não acompanha o desenvolvimento do corpo e a diferença chama atenção do mundo “normal” que os rodeia. “Sempre lutei contra o preconceito, eu não gosto de preconceito”, diz a sogra de Adriana, dona Lurdes Holz. Ouvir do médico que o filho não era capaz de conquista quase nada sempre a instigou a fazer mais por ele. Inclusive, apoiar o namoro com Adriana, oficial há cerca de 18 meses. Mas, segundo o casal, começou em uma sala de aula da Apae, quando ela tinha sete e ele tinha oito anos de idade. 

 

Adriana é falante. Elogia o namorado. Diz que passa o dia pensando nele. Status mais que merecido, afinal, antes de pedir amão da pretendida em namoro, ele ouviu um sonoro não da sogra – Elisa Seidel. A insistência de Claiton venceu pelo cansaço Elisa e o marido Olavo. “Nós íamos buscar a Adriana no serviço, víamos que o Claiton estava escondido esperando por ela. Só olhar para ela, antes que aprovássemos o relacionamento, já era o suficiente”, se emociona. Elisa segue o exemplo de Lourdes, luta pelo bem-estar dos filhos. 

 

Superado o medo e o ciúme dos pais corujas, o namoro foi autorizado. E de quebra, saiu um pedido de casamento. São, um do outro, o primeiro e quiçá o único amor nesta vida. Não podem ficar sozinhos. Elisa lembra. “Fomos ao cartório, eu e a Adriana. Quando chegamos lá ficamos preocupados. A atendente disse que tinha que perguntar se eles podiam mesmo se casar.” A boa notícia saiu logo. O amor brotou e floresceu. 

 

Adriana diz que o que mais lhe impressiona no futuro marido são os olhos – verdes. Claiton também. Acha os olhos de Adriana lindos. “Ele é carinhoso, me sinto bem ao lado dele.” Claiton balança a cabeça que sim. Concorda com a namorada. 

 

 

No Diados Namorados, noivos

 

O dia marcado para a troca de status – namorado para noivo – é a próxima quarta-feira, 12 de junho. O pedido é de Claiton. O pedido será na casa da mãe, já que o namoro é no sofá da sogra, as quartas, sextas e aos sábados. Quando casados, eles vão ocupar um andar do prédio da família de Adriana. 

 

O casamento está marcado para o dia 20 de julho, na Igreja Assembleia de Deus. Pentecostal, Adriana fez com que Claiton se batizasse na fé da família dela. Quando se ama, Deus é um só. A religião é um elo da corrente da vida e o amor a força que move montanhas e derruba as teorias dos mais céticos. Adriane e Claiton são a prova de que uma força maior opera nos corações apaixonados. Eles inspiram casais a procurar a felicidade e mostram que toda forma de amor vale a pena. 

 

 

Sem impedimento legal

 

A registradora substituta Natália Kussler Heberle explica que no registro de nascimento de Claiton e Adriana não existe nenhum impedimento descrito. Em outras palavras, o casal não tem nenhuma interdição civil. “Ao atingir a maior idade civil, ou seja, 18 anos, o indivíduo é considerado capaz para todos os atos da vida civil, entre eles, o casamento”, diz. Essa capacidade é legalmente presumida. 

 

No caso especial de Claiton e Adriana, o cartório fez uma verificação se os dois sabiam do que se tratava o casamento e se tinham conhecimento de informações pessoais. “Tem dados como o nome dos pais, data de nascimento que a gente não questiona, copia da certidão de nascimento. Para eles, nós confirmamos esses dados, só para ter certeza.” Nas respostas, a registradora teve certeza de que o casal tem entendimento do ato. Escolheram também o regime do enlace matrimonial: comunhão parcial de bens – em caso de separação, Claiton e Adriana dividem apenas os bens acumulados depois do dia do “sim”. 

 

O casamento civil está marcado para o dia 19 de julho. A entrada do pedido foi confirmada no dia 30 de maio. Agora, assim como em todos processos de casamento, é preciso que se cumpram algumas etapas. Entre elas, encaminhar a papelada ao Ministério Público, que é quem verifica a documentação apresentada está de acordo com a lei. O edital que dá a notícia do casamento fica no mural do cartório por 15 dias e nesse tempo também é publicado no jornal. Se ninguém tiver “nada contra” a união de Claiton e Adriana, o casamento civil sai.


Leia Também

Número de acidentes cai em Estrela

17/05/2019

Avenida Rio Branco e Coronel Müssnich registraram apenas uma ocorrência em abril

Proprietários registram tentativa de furto de aipim

16/05/2019

Fato ocorreu em uma propriedade rural na Linha Arroio do Ouro


Dois presos por tráfico e posse irregular de arma de fogo, em Estrela

13/05/2019

Prisão ocorreu em um porão desabitado

Whats é nova ferramenta para estelionato

10/05/2019

Polícia Civil alerta para golpes pelo aplicativo de celular, pois casos já ocorrem nacionalmente