Polícia

Vem pra rua

28/06/2013 - Polícia

Mais de 500 pessoas participaram do manifesto contra a corrupção que percorreu as ruas da cidade e f

Protesto chega a Estrela


O protesto contra a corrupção, na segunda-feira (24), começou em frente à rodoviária de Estrela, às 18h30min. A insatisfação com o transporte público foi só o início da revolta.

 

 “Você aí parado, também é explorado”, gritavam os manifestantes durante o trajeto até a Câmara de Vereadores, buscando adeptos ao movimento. Muitos aderiram à luta contra a corrupção no país, expondo que a relação do poder público com os cidadãos é de descaso e desrespeito, se não de abuso. 

 

A moradora de Estrela, Lilian Fleck Lengler (74), aposentada, foi uma delas. Não pôde caminhar todo o percurso, mas fez questão de se reunir com os cerca de 500 manifestantes. “Este é um momento importante e como cidadãos não podemos nos omitir”, diz. 

 

Ela relata que está feliz em ver que o povo está conseguindo se manifestar e que isso é necessário, pois os governantes precisam saber que se desejam mudanças. Sua principal reivindicação é em relação à situação dos idosos. 

 

“Os cortes nas aposentadorias fazem com que muitos, apesar de haverem contribuído para terem uma aposentadoria digna recebem a cada ano menos, e se continuar esta política em poucos anos todos receberão um salário mínimo”, alega. Ela acredita que os gastos da faixa etária estão prejudicados, principalmente pelo alto valor cobrado para se ter bom atendimento na saúde. 

 

Lilian afirma que, dentro de suas condições físicas, fará o possível para participar, pois acredita que um dos maiores erros é a omissão.

 

O jornalista Leonardo Heisler foi o último a cruzar a Av. Rio Branco. Ficou para trás no intuito de recolher o lixo que seria deixado pelos manifestantes. Mas não precisou. A educação, além daquela reivindicada nos cartazes, foi a marca dos estrelenses. 

 

 

Na Câmara de Vereadores

 

A sessão da Câmara de Vereadores foi interrompida por cerca de 40 minutos pela presença dos manifestantes. Um grupo de cerca de 200 pessoas entrou no plenário com faixas e cartazes, cantando o hino nacional e reivindicando por mudanças nos salários dos vereadores e de alguns projetos votados por eles. 

 

Foram entregues aos vereadores alguns cartazes com reivindicações, que serão anexados ao mural da Câmara. No fim, alguns discutiram com os políticos, alegando falta de interesse pelas causas do povo.   

 

Apesar disso, o presidente da Câmara, José Itamar Alves (PTB), disse que a manifestação seguiu ordeira e bem humorada, e que os vereadores ouviram os protestos e dialogaram com a população. 

 

Depois da visita à sede do Poder Legislativo, os manifestantes seguiram com a passeata até a Prefeitura Municipal, onde cantaram o hino nacional e seguiram até a BR-386. O trânsito foi bloqueado nos dois sentidos, a partir das 20h, e a rodovia foi liberada às 21h. A fila de carros era de dois quilômetros. 

 

 

Realidade vista de fora

 

Entre as manifestantes estava a representante comercial, Camila Palm (26), que morou na Austrália por dois anos e meio. Após viver uma nova realidade, retornou ao Brasil sabendo que a vida por aqui pode ser muito melhor do que é. "Os brasileiros se conformam com o que é imposto. Ao menos até agora”, afirma. “É muito bom ver essa onda jovem lutando por seus direitos”, relata.

 

Sua reivindicação é por saúde e educação de qualidade e pelo fim da corrupção. Mas o que lhe fez participar do protesto em Estrela foi a valorização dos direitos dos animais. Camila acredita que deve pedir por isso, pois ainda há poucas pessoas defendendo essa causa. 

 

Para a representante comercial, o protesto em Estrela mostra que a cidade está em sintonia com os acontecimentos nacionais, e que os protestos em massa surtirão efeito, como já ocorre com a derrubada dos deputados da PEC 37. 

 

O público de todas as idades surpreendeu. Gabriel Palm (10), primo de Camila, também participou do manifesto. Sua reivindicação é contra a corrupção. 

 

 

O que diz o prefeito

 

“As manifestações que ocorrem em todo o país são uma forma do povo expressar seu desejo por mudanças, em especial na necessidade de uma Reforma Política. Enquanto cívicas e pacíficas, devem ser ouvidas pelos agentes políticos. A mesma comunidade que nos dá o direito de representá-la, através do voto, tem o dever de acompanhar a vida institucional do país. No que se refere às reivindicações, estamos de portas abertas, como já propagado, para ouvir os pedidos e sugestões de melhorias e nos comprometemos em realizar a avaliação da viabilidade de cada uma delas”. 

 

 

“Vem pra rua”

“Você aí parado, também é explorado”. 

“Ei. Vamos acordar. Um professor vale mais que o Neymar”. 

“Da Copa eu abro mão, quero saúde, transporte e educação”. 

 

 

Manifestação pacífica familiar

 

Outra manifestação está marcada para este sábado. A passeata sai de frente da rodoviária de Estrela, às 16h, em direção ao Centro. Passará em frente à Câmara de Vereadores e Prefeitura Municipal, onde serão fixados cartazes com as reivindicações. A ação termina no Parque Princesa do Vale, onde ocorrerá o São João do município.  


Leia Também

Patram realiza fiscalização e apreende materiais de pesca

18/03/2019

Fiscalização foi feita da eclusa de Bom Retiro do Sul até o Arroio Taquari Mirim

Juliano Stobbe à frente da PC

14/03/2019

Delegado é o novo titular da delegacia de Estrela


Morador de Estrela sofre tentativa de golpe do bilhete

14/03/2019

Fato ocorreu na manhã de segunda-feira, dia 11

Homem é preso por tráfico, em Estrela

12/03/2019

Suspeito possui antecedentes por posse de entorpecentes e tráfico