País

Centros de distribuição de varejistas operam 24 horas e com reforço de equipe

"Operação de guerra" é montada pelas grandes varejistas para dar conta da logística da Black Friday

23/11/2017 - País

A um dia do evento que promete descontos em diversos produtos, os centros de distribuição de empresas de comércio eletrônico operam 24 horas para receber os pedidos dos consumidores, separar as mercadorias e despachá-las no menor tempo possível.

Planejamento é a chave para fazer tudo dar certo em meio à correria. Nas grandes redes, a logística da Black Friday é planejada com um ano de antecedência. Depois de avaliarem o desempenho da última edição, as empresas já pensam em novas estratégias para a vender mais na próxima e reduzir o número de queixas que costumam acompanhar as transações.

Para não correr o risco de ficar sem produtos para vender, as varejistas precisam reforçar o estoque para a data. Na Netshoes, e-commerce de artigos esportivos, por exemplo, os estoques em novembro são cerca de 50% acima do registrado em meses comuns.

E para dar conta de despachar tudo isso, a empresa contratou 750 funcionários temporários em novembro deste ano. É mais do que no ano passado, quando 600 pessoas reforçaram a equipe para a Black Friday, e o recorde para a empresa. Hoje, 2.500 fazem parte do quadro fixo de funcionários da empresa.


Leia Também

Por falta de tornozeleira, Wesley terá que se apresentar semanalmente a juiz

22/02/2018

Empresário foi solto após cinco meses preso

Nova fase da Lava Jato cumpre mandados judiciais em quatro estados

22/02/2018

Ação integra a 48ª fase da operação e apura casos de corrupção ligados à concessão de rodovias federais no Paraná


PIB brasileiro cresceu 1% em 2017, diz FGV

21/02/2018

Dados oficiais serão divulgados no dia 1º de março, pelo IBGE

Forças Armadas participam de varredura em presídio no Rio de Janeiro

21/02/2018

Pavilhões serão evacuados previamente pelos agentes penitenciários para que possa ser realizada a inspeção dos militares