Vale do Taquari

Certel estimula plantio de 385 árvores em benefício do meio ambiente

Três empresas da região renovaram em outubro suas parcerias com o Programa Energia Verde em Harmonia Ambiental, desenvolvido pela Certel, com consultoria da Max Ambiental.

20/11/2017 - Vale do Taquari

Três empresas da região renovaram em outubro suas parcerias com o Programa Energia Verde em Harmonia Ambiental, desenvolvido pela Certel, com consultoria da Max Ambiental. Desde 2007, o programa já beneficiou 74 entidades, entre empresas e instituições públicas, com o plantio de 161.685 árvores e a neutralização de 32.126,77 toneladas de gás carbônico equivalente (tCO2e).

Entre as organizações que tiveram seus contratos renovados, estão a Indústria de Móveis MW, de Teutônia, com 35 árvores a serem plantadas e 6,73 tCO2e neutralizados; a Granja Wiebusch, de Teutônia, com 269 árvores e 53,55 tCO2e; e a Suppry Etiquetas Indústria e Comércio Ltda., de Santa Cruz do Sul, com 81 árvores e 16,09 tCO2e.

Segundo o presidente da Certel, Erineo José Hennemann, o programa, em sua década de atividades, corrobora a filosofia preservacionista da cooperativa, que realiza ações desde 1985, quando foi criada a primeira campanha ambiental, denominada de ‘Verde nas Escolas’. “A determinação destas entidades comprova um maior respeito em relação ao meio ambiente. E a Certel continua disposta a contribuir nesse sentido, fornecendo mudas, monitorando o plantio por um período de cinco anos e concedendo o Selo Carbono Neutro, que marca o comprometimento por um mundo melhor”, assinala.

 

 


Leia Também

Usina de energia fotovoltaica vai reduzir custos de 276 famílias em Teutônia

18/06/2018

Estima-se que a economia com energia seja equivalente a R$ 56.380,05 anuais

Estrelense Rosane Cardoso ocupa cadeira na Alivat

15/06/2018

Posse será no Dia do Escritor, em 25 de julho, no Teatro do Sesc


Supermercados continuam sentindo impactos da greve dos caminhoneiros

25/05/2018

A Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) informa que o segmento supermercadista do Estado permanece com dificuldades de abastecimento de produtos em todos os setores e em todo o território gaúcho, mesmo após o anúncio do acordo entre o Governo Federal e entidades ligadas ao movimento dos caminhoneiros