País

Conenado em 2ª instância, Lula tem pena aumentada de nove para 12 anos

Conenado em 2ª instância, Lula tem pena aumentada de nove para 12 anos

24/01/2018 - País

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) condenou, por unanimidade, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. Os desembargadores ainda aumentaram a pena de 9 anos e 6 meses para 12 anos e um mês, em regime fechado, além de 280 dias-multa. Os magistrados Leandro Paulsen e Victor Laus seguiram o voto do relator, João Pedro Gebran Neto.

Em sua justificativa para o aumento da punição, Gebran Neto disse que, por ter ocupado a presidência, a culpabilidade do ex-presidente é extremamente elevada. Segundo ele, na condição de principal mandatário do país foi tolerante e beneficiário com a corrupção na Petrobras, o que fragilizou não só a estatal, mas também a estabilidade democrática brasileira.

O desembargador Leandro Paulsen, revisor do caso, também votou pela condenação de Lula. Assim como o relator do caso, Paulsen rejeitou pedido do Ministério Público para ampliar o número de vezes em que Lula teria cometido o crime de corrupção, também condenando-o a 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado.

Já Victor Laus considerou que “o ex-presidente em algum momento perdeu o rumo”. Ele afirma que Lula deveria ter “impedido esquemas de corrupção” e “em algum momento passou a tirar proveito da situação”. “Se alguém fez algo de errado, essa pessoa responde pelo crime. Ponto. É disso que se trata”, argumentou Laus.


Leia Também

Por falta de tornozeleira, Wesley terá que se apresentar semanalmente a juiz

22/02/2018

Empresário foi solto após cinco meses preso

Nova fase da Lava Jato cumpre mandados judiciais em quatro estados

22/02/2018

Ação integra a 48ª fase da operação e apura casos de corrupção ligados à concessão de rodovias federais no Paraná


PIB brasileiro cresceu 1% em 2017, diz FGV

21/02/2018

Dados oficiais serão divulgados no dia 1º de março, pelo IBGE

Forças Armadas participam de varredura em presídio no Rio de Janeiro

21/02/2018

Pavilhões serão evacuados previamente pelos agentes penitenciários para que possa ser realizada a inspeção dos militares