Estrela

Duas mortes em meio ano

Indicação do Ministério da Saúde é que sejam feitas 495 mamografias até o fim de 2018

11/10/2018 - Estrela

Das três internações hospitalares, via SUS, entre os meses de janeiro e julho, em Estrela, duas pessoas morreram. “95% dos casos de câncer de mana diagnosticados precocemente tem cura. Os dados reforçam a importância dos exames preventivos”, afirma a enfermeira Débora Martins, que salienta a importância de as mulheres ficarem atentas a qualquer alteração na mama e buscar imediatamente um profissional.

Até junho, foram 196 mamografias realizadas na rede pública de saúde, em mulheres de 50 a 69 anos. Representa 6,1% da população total da faixa etária, que é de cerca de 3,2 mil e a indicação do Ministério da Saúde é que sejam realizadas 495 até o final do ano. A médica e professora da Univates, Daiane Bonella Colpro, explica que o câncer de mama é o mais incidente nas mulheres, mas que há dificuldade em fazer com que a população feminina faça autoexame e mamografia. Reforça que as mulheres precisam se autoexaminar mensalmente.

Superação

A professora Roseli Heller Veloso tem 69 anos e há dez foi diagnosticada com câncer. “Fazia mamografia anualmente. Quando recebi o diagnóstico, fiquei perplexa, senti muito medo porque não sabia o que poderia acontecer.” Ela passou por uma setorectomia, que é uma cirurgia de retirada de um setor da mama, e passou por dois meses de radioterapia e por quimioterapia. “Fiz quatro sessões a cada 21 dias e depois recebi uma medicação via cateter durante um ano. Graças ao Pai não tive dor, apenas mal estar, enjoo e fraqueza.” Após o término do tratamento, a professora segue fazendo acompanhamento médico a cada seis meses.

Para Roseli, o Outubro Rosa se constitui num chamamento para que as pessoas não esqueçam de fazer a prevenção. “Poderia haver mais esclarecimentos da Secretaria da Saúde quanto à realização da mamografia, divulgação dos horários de funcionamento da rede de saúde e telefones. Acredito que as mulheres estão cientes do que precisam, mas não têm informações necessárias”, comenta.

Auxílio

“Fui convidada para ser secretária da Liga e, redigindo as atas das reuniões, percebi que queria fazer mais”, conta Roseli, que é voluntária da entidade que auxilia mulheres com câncer. Afirma que o trabalho é muito importante e que, quando esteve doente, teve apoio no HBB, em Lajeado. Na época, a Liga de Combate ao Câncer de Estrela ainda não tinha sala própria. “Por meio da Liga, as pessoas têm um acesso muito grande às informações, recebendo orientações valiosas e ajuda. Aqui somos abençoados, pois temos um apoio irrestrito do Lions, Rotary, prefeitura, lojistas, amigos e da comunidade, que se engaja porque a causa é nobre.”

Agenda do Outubro Rosa

Dia 23, terça-feira – Talk and Drinks, com Aline Silva, no Casarão Cafeteira e Pub, às 19h30min.

Dia 27, sábado – Cami aberto das 8h às 12h.


Leia Também

Alteração em programa de incentivo beneficia produtores

22/02/2019

Prefeito sancionou lei que permite executar adequações nos acessos a aviários

Estrelart deve ganhar espaço fixo na praça Menna Barreto

22/02/2019

Entidade de artesãos estrelenses deverá ser beneficiada com criação de novo local


Destaque para a Univates na Sessão Solene da Câmara de Vereadores de Estrela

22/02/2019

Instituição foi homenageada pelos 50 anos de ensino superior

Moradores do interior reclamam de falta de atendimento na M2P2

22/02/2019

Fato ocorreu na segunda-feira