Estrela

Manifestação dos vereadores

20/04/2012 - Estrela

Vereador Fensterseifer preocupado com ponte
Na segunda-feira, o vereador Gilberto Fensterseifer (PP) mostrou sua preocupação pela interdição completa da Ponte da Linha São José, que faz a ligação entre o Bairro Boa União e a Linha São José, além do vizinho município de Colinas. Detectado problemas estruturais na mesma e, após indeterminação entre município e Daer sobre a responsabilidade sobre a mesma, na sexta-feira, sob interferência do Ministério Público o local foi totalmente interrompido, proibindo inclusive o tráfego de veículos de passeio ou motos. Fensterseifer reclama falta de providências para o local, trazendo um novo problema para a comunidade do Bairro São José. “Agora todo fluxo de veículos precisa cruzar o bairro que não foi projetado para tal. É um risco para os moradores que prometem protestos no local, inclusive com o fechamento da estrada”, observa. Para o parlamentar, é responsabilidade do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) o reparo imediato da ponte ou reconstrução da arte.

Alves reclama de demora no agendamento
O vereador José Itamar Alves (PTB) reclamou, na sessão de segunda-feira, da demora no agendamento de consultas pelo Instituto de Previdência do Estado (IPE). “A demora de até três meses não é aceitável para trabalhadores que têm descontado mensalmente sua contribuição”, ressalta. O parlamentar pretende entrar com pedido de informação junto ao IPE para saber o motivo da demora e solicitar o descredenciamento dos profissionais que não estiverem aptos em atender em um tempo razoável.

Silêncio em memória de padre jesuíta
O presidente da Câmara de Vereadores, Juarez Fülber (PPS) solicitou um minuto de silêncio no início da sessão ordinária de segunda-feira, em memória ao padre estrelense Lodomilo Augusto Mallmann, falecido no domingo aos 85 anos. Ex-professor e ex-diretor da Biblioteca da Unisinos, o padre era tio do atual vereador Joel Barcelos Mallmann. Padre Mallmann atuou como professor da Unisinos desde a criação da universidade. Foi chefe do Departamento de Teologia (1971 a 1979), chefe do Departamento de Filosofia (1976), diretor do Centro de Educação e Humanismo (1975/2 a 1985) e diretor da Biblioteca (1996 a dezembro de 2010). Fez parte do grupo de professores que ministrou aulas para a primeira turma de Direito da universidade e foi homenageado, em dezembro passado, na cerimônia que comemorou os 40 anos de formatura da mesma. Orgulhava-se, dentre outras coisas, de ter sido professor de muitos dos jesuítas e dos colaboradores da Unisinos e de ter integrado as Comissões de Reconhecimento da universidade e de criação/alteração de seus Estatutos e do Regimento Geral. Para o vereador Aloísio Leo Mallmann (PSD) é uma grande perda para a família. “O padre era um grande estudioso da genealogia dos Mallmann e o pioneiro na criação do encontro de família”, enfatiza.


Leia Também

Municipalização avança na ERS-129

15/02/2019

Há uma pré-agenda com a Secretaria de Logística e Transportes do Estado dia 20

Produtores recebem certificação de produção orgânica

15/02/2019

Cadastro permite a comercialização dos produtos para o consumidor final


Câmeras para coibir descarte incorreto

15/02/2019

Ação proposta pelo secretário do Meio Ambiente visa diminuir a quantidade de materiais acondicionados em locais impróprios

Mãe pede ajuda para custear estadia

15/02/2019

Estevan, de 5 anos, luta contra a leucemia e família precisa de ajuda financeira para permanecer em Curitiba após o procedimento