Estrela

Família quer explicações após morte de bebê

Após morte de Isac Natalício da Silva, sindicância vai apurar falhas em atendimento

24/01/2020 - Estrela

Créditos da matéria: Ana Caroline Kautzmann

Estrela - Na sala da casa de Adriana Rodrigues da Silva, no Bairro Imigrantes, em Estrela, a família de Isac Natalício da Silva, de 2 anos e meio, estava reunida quarta-feira, dia 22. O sentimento de dor se unia ao da decepção enquanto Adriana relatava, à reportagem do Jornal NG, o que ocorreu com o sobrinho, que faleceu na noite de segunda-feira, no Hospital Estrela. No sábado, o bebê começou a ter febre, foi medicado pela mãe, mas o sintoma reaparecia. Ele comia, mas tinha uma fraqueza nas pernas. A mãe Deise da Silva Ferreira, ainda abalada, lembra que domingo levou o filho ao Pronto Socorro. Um médico clínico-geral examinou a garganta de Isac e afirmou que estava com uma infecção. “Disse que estava com faringite e um pouco de bronquite. Mas mal olhou a garganta e receitou antibiótico e remédio para a febre”, conta.

Os pais pediram um exame de raios-x. “Ele disse que não era necessário, que o antibiótico ia resolver, não fez exame de sangue também”, disse a mãe. “O que nos deixa tristes é que o SUS paga”, lamenta Adriana.

Piora no quadro

Ao levá-lo novamente ao PS, na segunda-feira, a família não imaginava a gravidade do quadro. “Pensamos que fariam um exame para ver o que era, que ficaria tudo tranquilo”, conta Adriana. Segundo a família, uma pediatra foi chamada, o menino foi entubado e foram realizados procedimentos de reanimação após uma parada cardíaca.

À noite, Isac faleceu de choque séptico, septicemia e hemorragia pulmonar, como consta na certidão de óbito. “Não temos nada contra o hospital. O médico no domingo podia ter feito os exames. Ele teria tido mais tempo para ser tratado. O exame teria mostrado a pneumonia, o exame de sangue teria mostrado o quadro de diabetes, e ele teria ficado internado”, salientam Deise e Adriana. Sem conter as lágrimas, a família cobra explicações. “No enterro, prometi pra ele que vou descobrir o que houve.”

"Hoje foi ele, mas amanhã vai ser uma Maria, um João, e não queremos que isso aconteça com mais ninguém.” Adriana da Silva

Hospital se posiciona

“O Hospital Estrela está apurando todos os fatos ocorridos na instituição sobre o paciente menor de idade, que veio a óbito no dia 20. Os registros do 1º atendimento, no domingo, dia 19, não evidenciam conduta assistencial inadequada ao caso. Na quarta-feira, dia 22, à tarde, o hospital tomou conhecimento, por meio da imprensa, de que a família alega ter solicitado ao médico a realização de exames na criança, não tendo sido atendida neste pedido. Este novo elemento será apurado junto ao médico plantonista do domingo, que prestou assistência ao paciente. Considerando o relato da família feito à imprensa, foi instaurada sindicância interna, cujos trâmites devem ser observados e levarão o tempo necessário para que tudo seja, minuciosamente, averiguado. O HE chamará a família do paciente para uma reunião de esclarecimentos. O Hospital Estrela lamenta, profundamente, o falecimento do menino Isac e se solidariza com seus familiares e amigos.”


Leia Também

Sem reciclagem até quarta-feira

21/02/2020

Funcionários da reciclagem foram dispensados até quarta

“Ficha limpíssima”

21/02/2020

Projeto de Fell estende, para secretários, aplicação de lei


Sugerida nova área para Canil

21/02/2020

Município prevê ampliação do espaço

Carnaval: escolas e blocos desfilam em Estrela no dia 7 de março

20/02/2020

Evento é promovido pelo Governo Municipal, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo