Estrela

Filhas reencontram pai após 39 anos

Lágrimas, alegria e uma busca de anos resumem a história de duas irmãs e um morador de Estrela. NG acompanhou reencontro

09/03/2018 - Estrela

Créditos da matéria: Carine Krüger

As irmãs Susana de Fátima Ribeiro Santos, de 47 anos, e Maria Eliana Ribeiro Santos, de 48 anos, não viam seu pai há 39 anos. Ari dos Santos Salgado tem hoje 78 anos e reside em Estrela. Na tarde de segunda-feira, dia 5, um suspiro e uma espiada na porta foi o suficiente para o reconhecimento, emoção e o sonhado reencontro.
Logo que o viram na porta da casa, o alívio: “pai nós te encontramos.” Elas queriam saber tudo de Salgado. E ele, delas. O carinho naquele encontro era de família que, mesmo depois de anos, não foi esquecido. Susana, a filha mais nova, fazia questão de acariciar o pai a todo momento. E Maria Eliana levou o filho Roger Alexandre para conhecer o avô. “Agora o senhor não vai mais ficar longe de nós. Nunca mais”, repetiam, a todo momento.
Com o pai, estava Rosana da Costa, sua outra filha, que mora com ele e cuida de sua saúde. Ela ajudou a criar as meninas e também ficou muito emocionada. Não parava de abraçar as duas irmãs e dizia: “eu te falei, pai, que um dia iríamos reencontrar nossas meninas!”

Como se separaram
A família é natural de Salto do Jacuí, a 201 quilômetros de Estrela. Há 49 anos, Ari teve um relacionamento extraconjugal com a mãe de Susana e Maria Eliana. As irmãs, com um ano de diferença, logo depois de nascerem, foram deixadas pela mãe na casa do pai para serem criadas. A família ficou com as meninas durante oito anos. “Elas foram deixadas na porta de casa. Abandonadas. Cuidamos com muito amor. Minha mãe aceitou elas e tratou como filhas”, conta a irmã Rosana. Quando Susana completou 8 anos e Maira Eliana 9, a mãe requereu a guarda e as tirou da família. Ela, as filhas e mais um outro filho que tinha com Salgado, se mudaram para Porto Alegre e, a partir daí, ela proibiu qualquer tipo de contato.

A procura e o sonho
Susana e Maria Eliana contam que, quando adolescentes, buscaram ajuda na Rádio Farroupilha, jornais da capital e até mesmo tentaram fugir para reencontrar o pai. Mas nunca tiveram sucesso. A única novidade que tinham era de que ele teria trabalhado na Prefeitura de Estrela. Somente carregavam consigo o nome completo e as lembranças de seu rosto.
Já o pai apenas manteve uma lembrança de suas meninas: uma foto antiga, que até hoje ficava na cabeceira da cama.
Atualmente, Susana tem cinco filhos e mora em Alvorada, e Maria Eliana tem oito filhos e reside em Porto Alegre. “Minha família cresceu bastante”, dizia o pai, muito feliz com o reencontro.

 

Leia reportagem completa e veja imagens emocionantes na edição impressa de hoje 


Leia Também

Definidos terceiros colocados no futsal do Intercomunitários de Estrela

18/06/2018

As quatro categorias da última competição em disputa decidiram os terceiros lugares do pódio. Finais serão realizadas sexta-feira (22), em Arroio do Ouro

Festival de Inverno de Cerveja Artesanal com ingressos à venda

15/06/2018

Evento ocorre dia 28 de julho, no Centro Comunitário Cristo Rei


Cidades podem ter queda no rateio de ICMS

15/06/2018

Estrela enviou correções e pode crescer 0,5%. Situação semelhante em Colinas

Mais de R$ 1,2 milhão fora do caixa

15/06/2018

Prefeitura de Estrela estimava arrecadar R$ 5,2 milhões com imposto, mas mais de 10,4% dos veículos estão inadimplentes