País

Licitação de blocos exploratórios de petróleo arrecada R$ 3,84 bilhões

27/09/2017 - País

A 14ª rodada de licitação de blocos exploratórios de petróleo promovida pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) foi concluída com uma arrecadação total de R$ 3,842 bilhões em bônus de assinatura. Foi a maior arrecadação da história, com um ágio médio de 1.556,05%.

Os blocos mais concorridos foram os da Bacia de Campos, no litoral fluminense, onde oito dos 10 ofertados foram arrematados pelo consórcio Petrobras/ExxonMobil. As duas empresas, em consórcio, pagaram R$ R$ 2,240 bilhões pelo bloco campos marítimos 346 (BC-346), uma das áreas mais disputadas da 14ª Rodada e o maior bônus de assinatura. A segunda maior oferta, de R$ 1,2 bilhões, também foi feita pelo consórcio, que foi responsável por 95% do montante total arrecadado.

Foram arrematados 37 dos 287 blocos ofertados e uma área total de 25.011 quilômetros quadrados (km²). Os blocos arrematados estão distribuídos em 16 setores de oito bacias sedimentares: Parnaíba, Potiguar, Santos, Recôncavo, Paraná, Espírito Santo, Sergipe-Alagoas e Campos.

A previsão de investimentos do Programa Exploratório Mínimo (conjunto de atividades a ser cumprido pelas empresas vencedoras na primeira fase do contrato) é de R$ 845 milhões.


Leia Também

Tribunal marca julgamento da apelação de Lula para janeiro de 2018

13/12/2017

Em julho deste ano, o ex-presidente foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão, por lavagem de dinheiro e corrupção passiva

Acordo prevê pagamento à vista para poupadores que receberão até R$ 5 mil

13/12/2017

A partir de R$ 10 mil, o pagamento será feito em uma parcela à vista e quatro semestrais


Acordo sobre planos econômicos deve ser protocolado hoje no STF

12/12/2017

Negociações que buscam encerrar as disputas judiciais sobre os planos econômicos Bresser, Verão e Collor II

Câmara aprova em segundo turno PEC que estende prazo para Estados e municípios pagarem precatórios

07/12/2017

Proposta aumenta de 2020 para 2024 o prazo final de pagamentos. Como sofreu alterações na Câmara, projeto volta ao Senado