Imigrante

Pesquisa como foco na educação

Emef Arco Íris aposta em projetos de aprendizagem para melhorar o desempenho intelectual dos alunos

14/09/2018 - Imigrante

Na última sexta-feira, O Jornal Nova Geração apresentou o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), mostrando o destaque de Imigrante nos números. Esta semana, fomos ao município para buscar a receita que justifica os resultados positivos. A Escola Municipal de Ensino Fundamental Arco Íris, de Imigrante, tem apenas 220 alunos, e foca sua atuação em projetos e pesquisas científicas para melhorar o desempenho intelectual dos alunos.

Quanto aos bons índices da escola, a diretora Carla Klein Camilo acredita que o resultado é um conjunto de diversas ações que estão sendo realizadas há anos e que, agora, mostram seus reflexos. Em 2017, a escola introduziu o programa pedagógico União Faz a Vida, iniciativa do Sicredi. A cada semestre, cada turma desenvolve um projeto, que inclui a pesquisa.

Para chegar ao tema definido, os professores se reúnem e decidem o que é interessante trabalhar e como podem incluir o assunto no plano de ensino. “Por exemplo, na segunda-feira os alunos do 8º Ano farão uma visita em um jornal, porque o tema deles é Fake News. Assim, eles fazem o passeio investigativo e pesquisam”, explica.

A leitura é outro ponto forte na Emef, onde uma vez por semana, na disciplina de Português, os alunos vão à biblioteca e tem um período para realizar a leitura de livros. Posteriormente, produzem uma ficha de leitura. “O Português é necessário para tudo, para uma interpretação de um problema de matemática, para entender as demais matérias, então se a leitura é incentivada, já é um ponto a mais”, conta.

Na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), a escola obteve ouro em 2015 e 2017, e bronze em 2016. Além disso, na Olimpíada de Matemática da Univates destaca-se, na maioria das vezes, a nível municipal. “Às vezes as pessoas dizem que aqui é muito difícil para estudar, pensam em trocar os filhos de escola, mas há uma cobrança para o bem”, afirma Carla.

Projetos de Ciências

Além do trabalho realizado no horário de aula, os alunos do 6º ao 9º Anos têm a oportunidade de desenvolver projetos de Ciências na quinta-feira, turno inverso às aulas, quando cada turma possui um horário para realizar as oficinas. “Essa participação parte do interesse deles, e pesquisando adquirem mais conhecimento”, explica a diretora. Neste ano, os seis projetos inscritos pela escola para serem apresentados na Feira de Ciências da Univates foram classificados.

Corpo docente

Na Emef, a maioria dos professores possui pós-graduação, o que para a diretora também contribui para o destaque no ensino. “A formação é importante, mas o principal é gostar do que se faz e ensinar com amor, porque se não tiver isso, o aluno não vai aprender”, avalia. Para a professora de Matemática da escola, Simone Noll, o incentivo é necessário para alcançar os resultados. “Eu sou uma professora tradicional, não faço nenhum trabalho diferenciado porque a matemática não permite, é uma matéria séria, mas como é um tema difícil, tento ter um relacionamento diferente com eles, mais divertido”, aponta. 

Para o futuro

Para continuar com os bons resultados, o trabalho que é feito atualmente será mantido, mas existem diversos planos para melhorá-lo ainda mais. “Temos muitas ideias para o próximo ano, como realizar mais atividades de reforço, que hoje já fazemos na Matemática e incluir o inglês para as Séries Iniciais”, afirma a diretora. Aluna  hoje do 6º Ano (era do 5º ano ano passado quando realizou as avaliações que resultaram no índice), Ana Júlia Ermani Lagemann, de 11 anos, tem uma resposta rápida para a pergunta: o que você quer ser quando crescer? “Estudar é importante para ser alguém na vida e eu pretendo ser veterinária ou atuar na gastronomia”, afirma.

Os índices do Ideb

A Emef Arco Íris foi a melhor, nos Anos Iniciais, entre as escolas estaduais e municipais de Imigrante, Colinas e Estrela, com nota 7, de 10. Os Anos Finais, com nota 6,3, figuram na segunda posição, atrás apenas da Emef Cônego Sereno Hugo Wolkmer, de Estrela, que fez 6,4.  

No Estado, o município de Imigrante alcançou a maior média total nas avaliações do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), referente ao Ensino Fundamental. No Ideb, figura na quarta colocação com melhor nota dos Anos Finais. 

Como meta para 2017, o município havia estipulado a nota de 6,9 e alcançou 7, contando todas as escolas da rede estadual e municipal. 

Em 2015, a Emef Arco Íris não obteve índice no Ideb, pois, de acordo com a diretora, não possuía o número de alunos necessários para participar.


Leia Também

Aplicativo divulga informações turísticas

26/04/2019

Lançamento oficial ocorre no dia 2 de maio, no Cactário Horst, um dos locais que atrai visitantes de diferentes lugares

Fim de semana de Paixão de Cristo

12/04/2019

Programação alusiva à Semana Santa ocorre no Convento Franciscano São Boaventura, em Daltro Filho, a partir das 19h


Vereadores Mirins definem projetos

05/04/2019

Alunos das escolas municipais de Ensino Fundamental Arco-Íris e Santo Antônio formam a Câmara Mirim

Os 50 anos da Arco-Íris

29/03/2019

Escola foi fundada por membros da Comunidade Evangélica Arroio da Seca