País

Petrobras volta aumentar a gasolina. Diesel também sobe

Petrobras volta aumentar a gasolina. Diesel também sobe

07/11/2017 - País

A Petrobras anunciou na segunda-feira, dia 6, o reajuste de 2,3% no preço da gasolina, o terceiro movimento de alta consecutivo neste mês. Apenas em novembro, a gasolina vendida pela empresa tem aumento acumulado de 6,7%. A empresa também subiu o preço do diesel, em 1,9%. Em comunicado, diz que as mudanças refletem a alta das cotações internacionais e a desvalorização do real ante o dólar.
Os reajustes tiveram de ser autorizados pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços, que só atua quando a variação excede 7%, para cima ou para baixo, no prazo de um mês. Até esse limite, ajustes podem ser feito diretamente pela área técnica da companhia. Foi a segunda atuação do grupo - que é composto pelo presidente da empresa, Pedro Parente, e dois diretores - em dez dias.
"O reajuste foi causado, principalmente, pelo aumento das cotações dos produtos e do petróleo no mercado exterior, influenciado pela geopolítica internacional, assim como a continuidade da política de contenção da oferta pela Opep (Organização dos Países Produtores de Petróleo)", informa a empresa, em comunicado. "Além disso, verificou-se uma depreciação do real frente ao dólar", continua o texto.
Desde 6 de outubro, quando interrompeu uma sequência de quedas, o preço da gasolina vendida pela estatal vem em trajetória de alta. O aumento acumulado no período é de 18,9%. Os novos preços passaram a vigorar à zero hora desta terça-feira, dia 7.


Leia Também

IDH do Brasil tem leve variação e país mantém 79ª posição no ranking

14/09/2018

Aumento na renda faz IDH do Brasil subir 0,001 ponto e chegar a 0,759

Jair Bolsonaro passa por cirurgia após receber facada

06/09/2018

Médicos descartaram lesão no fígado, mas intestino foi atingindo


Bolsonaro leva facada durante ato de campanha em Minas Gerais

06/09/2018

Candidato foi encaminhada para atendimento hospitalar

Governo aumenta para R$ 1.006 previsão para salário mínimo em 2019

31/08/2018

Valor do mínimo foi revisado para cima porque a estimativa de inflação pelo INPC em 2018 passou de 3,3% para 4,2%