Estado

Primeira parcela do 13º salário tem de ser paga até esta quinta: tire suas dúvidas

Cerca de 48,1 milhões de trabalhadores brasileiros no mercado formal devem receber o valor

30/11/2017 - Estado

Está chegando aos bolsos dos brasileiros o 13º salário, valor que faz a diferença nas contas do final do ano. O chamado abono de Natal é pago em duas parcelas, e a primeira está a caminho até esta quinta-feira (30).

Segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), R$ 13 bilhões deve ser injetados na economia gaúcha com o 13º. Ainda segundo o estudo, até R$ 8 bilhões vão para o varejo. O Dieese estima que esta renda adicional recebida pelos beneficiados fique, em média, em R$ 2.251 no país.  

Pesquisa da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV) aponta que 60% desse dinheiro deve ser gasto para compras e pagamento de contas. A primeira parcela deve ser direcionada para quitar dívidas. E a previsão é de que no segundo pagamento, até 20 de dezembro, o dinheiro seja usado para as compra de presentes.

O que muda com a reforma trabalhista

Segundo o Ministério do Trabalho, cerca de 48,1 milhões de trabalhadores no mercado formal devem receber o 13º salário. Esses trabalhadores devem injetar na economia brasileira aproximadamente R$ 132,7 bilhões. Esse volume representa aproximadamente 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Entre os argumentos para aprovar a reforma trabalhista, o governo federal prometeu que o 13º salário não seria tocado. Especialista em relações trabalhistas e previdenciárias, o advogado Marcus Vinicius Freitas estudou o texto e acredita que isso foi cumprido.

– Não houve nenhuma alteração no regime de pagamento do 13º salário a partir da reforma. Esse ponto não pode ser tratado por acordo nem está entre aqueles em que o acordado pode valer sobre o que está na lei. Até porque o 13º está previsto na Constituição – afirma o especialista em relações trabalhistas e previdenciárias Marcus Vinicius Freitas.

Outro especialista tem interpretação diferente e acredita que o assunto ainda pode gerar polêmica.

– A reforma trabalhista não alterou os procedimentos e direitos do 13º salário. No entanto, pela nova lei, o negociado se sobrepõe ao legislado, o que pode dar abertura para empresas e sindicatos negociarem o fracionamento do 13º em mais de duas vezes, por exemplo. Mas não sabemos se o Judiciário acolherá esta prática – avalia o advogado especialista em Direito do Trabalho Claudio Amaral de Souza.

Tire suas dúvidas sobre o 13º salário

Quem recebe o 13º?

O 13º salário é um direito de trabalhadores do mercado formal, nos setores público e privado, inclusive domésticos. A partir de 15 dias de serviço, o trabalhador já passa ter direito a receber. Também recebem os beneficiários da Previdência Social e pensionistas. O não pagamento ou atraso é considerado uma infração e pode resultar em multas às empresas. 

Quais as datas e prazos de pagamento?

Os empregadores têm até o dia 30 de novembro para pagar a primeira parcela. A segunda parte deve ser paga até 20 de dezembro. Cada parcela corresponde à metade do valor devido. Caso a data máxima de pagamento do 13º caia em um domingo ou feriado, o empregador deve antecipar para o dia útil anterior. 

Como é calculado o valor?

O empregado receberá um salário líquido a mais como benefício caso tenha trabalhado por 12 meses durante o ano. Ou seja, o 13º é devido por mês trabalhado: 12 meses equivalem a um salário inteiro. Se o empregado foi contratado em fevereiro, por exemplo, e ganha salário de R$ 2 mil, receberá o benefício calculado sobre 11 meses de trabalho (entre fevereiro de dezembro). Nesse caso, o 13º total será de R$ 1.883. 

Quais são os descontos aplicados?

A primeira parcela é paga sem descontos. A segunda parte sofre descontos do INSS e do Imposto de Renda (IR). Também pode haver abatimento de eventuais empréstimos consignados.

O 13º é calculado somente sobre o salário?

As médias de rendimentos como hora extra, adicional noturno e comissões pagas ao longo do ano são somadas ao valor do 13º. Quem só recebe comissão ganha um valor que leva em conta a média das comissões anuais ou recebe pela convenção coletiva da categoria, o que for mais vantajoso ao empregado. 

A empresa pode pagar o 13º em apenas uma vez?

Sim, desde que seja até dia 30 de novembro. O pagamento da gratificação em uma única parcela em dezembro é ilegal, estando o empregador sujeito a multa do Ministério do Trabalho. 

É devido 13º para o empregado em licença-médica?

Sim, mas pode mudar o responsável pelo pagamento. Em um afastamento de até 15 dias, a empresa paga o benefício normalmente. Mas se o funcionário ficar afastado por mais tempo, o empregador paga o 13º proporcional ao período trabalhado. Por exemplo, de 1º de janeiro até a data do 15º dia de afastamento. O valor restante do ano é pago pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), ligado ao Ministério da Previdência Social.

A empregada em licença-maternidade recebe?

Sim. Neste caso, a lei prevê que o tempo de licença-maternidade conta para todos os efeitos, inclusive para o cálculo de 13º salário.  A empregada tem seus salários e o 13º pagos pelo empregador.

Qual o direito a 13º de quem é demitido?

O empregado tem direito quando ocorre a extinção do contrato no pedido de demissão e na dispensa por parte do empregador.  remuneração é paga proporcionalmente aos meses trabalhados no ano no momento da rescisão do contrato. Não tem direito ao 13º o empregado demitido por justa causa.

O trabalhador intermitente recebe?

Este trabalhador também tem direito ao 13º, que será proporcional ao tempo trabalhado ao longo do ano. O valor tem de ser pago sempre ao final do período de trabalho. Essa é uma novidade da reforma trabalhista. O trabalho intermitente é aquele realizado de forma esporádica. O empregado atua quando chamado pelo patrão, recebendo de acordo com as horas ou dias de serviço.  

Como é o 13º do trabalhador temporário?

Esse trabalhador ganha o 13º salário proporcional aos meses em que trabalhou. Os valores devem ser pagos no momento do encerramento do contrato.


Leia Também

Aumenta o consumo e a procura pelo GNV

18/06/2018

Mesmo com a paralisação de 15 postos abastecidos com Gás Natural Comprimido durante a greve dos caminhoneiros, as vendas superaram as do mês de abril em 4,1%


Receita Estadual confirma blitz de IPVA para esta quarta-feira

13/06/2018

Porto Alegre e outras 12 cidades do interior do estado terão blitze com barreiras simultâneas com a finalidade de recuperar R$ 285 milhões que deixaram de ingressar nos cofres públicos até o momento

Executivo estadual define horários de atividades administrativas em dias de jogos do Brasil na Copa

12/06/2018

Com relação às escolas da rede pública estadual, no dia 22 de junho não haverá aula para os alunos da manhã. Já no dia 27 os alunos não terão aula no turno da tarde