Polícia

Registro de casos de estelionatos aumenta 53% em Estrela

Falsificação de WhatsApp é o principal golpe cometido no momento

02/08/2019 - Polícia

Créditos da matéria: Ana Caroline Kautzmann

Você vê uma promoção ótima em um site, uma televisão, que antes custava R$ 3 mil, por R$ 1 mil, e decide aproveitar: faz o cadastro, efetua o pagamento e, logo em seguida, não consegue mais acessar o site ou não recebe o produto e percebe que sofreu um golpe. Ou, até mesmo, recebe uma mensagem no WhatsApp de um amigo, solicitando o empréstimo de um valor em dinheiro ou propondo algum tipo de negócio. Realiza o depósito, confiando no retorno do pagamento. Momentos depois, descobre que o amigo, na verdade, foi vítima de uma falsificação no aplicativo e que não solicitou nenhum valor. Esses são os principais golpes virtuais registrados na Delegacia de Polícia de Estrela.

De janeiro a junho, foram 21 casos de estelionatos (incluindo os virtuais) a mais que no mesmo período de 2018, quando 39 ocorrências foram registradas, um aumento de 53%. No total, em 2019, já são 60 casos. “O estelionato pode ser praticado de diversas formas. Algumas mais antigas estão diminuindo, como o golpe do bilhete. Apesar de ter gente que ainda cai, diminuiu muito em relação aos golpes virtuais”, comenta o delegado Juliano Stobbe.

Mais ocorrências

O golpe do WhatsApp foi o estelionato que mais prevaleceu no primeiro semestre deste ano. O crime ocorre quando um falsário adquire os dados da vítima, cria um perfil com a foto da pessoa e passa a pedir dinheiro para amigos e oferecer negócios. “Diante disso, as pessoas depositam o dinheiro ou fecham negócio porque conhecem a pessoa há anos e imaginam que ela cumprirá com o combinado. Nota-se um aumento nas ocorrências dessa modalidade porque, em determinado momento, uma quadrilha se especializa nesse golpe e ele ocorre até que as pessoas se informem e não sejam mais vítimas”, explica.

Stobbe destaca ainda que muitos dos casos ocorrem pela ganância e falta de cuidado. “As vítimas, elucidadas com promoções e preços mais baixos do que os costumeiramente praticados, acabam comprando o produto e caem no golpe”, salienta. Além disso, ele explica que muitos destes delitos entram para a “cifra negra” da polícia. “Muito do que acontece nem chega a ser registrado, porque as pessoas acham que não é possível investigar”, afirma.

Investigação

O crime de estelionato é passível de prisão e resulta em pena de reclusão de 1 a 5 anos. Mas quando o assunto são crimes virtuais, a dificuldade está na investigação. “Nesse golpe do WhatsApp, as vítimas realizam o depósito bancário, então nós temos uma conta, sabemos para onde foi, mas geralmente é de uma pessoa sem ficha criminal, um laranja e esse dinheiro é sacado no mesmo dia. É difícil rastrear e chegar no estelionatário”, explica.

O delegado destaca outra dificuldade, a falta de dados. “Quando falamos de celular, por exemplo, as operadoras não exigem muitas informações para habilitar uma linha, pedem o CPF, que é possível conseguir um aleatório. Uma das formas de tentar inibir esses crimes seria essa precaução de somente habilitar linhas em locais físicos, com requisição de documentos e idoneidade garantida da pessoa”, comenta.

Mesmo com os entraves, afirma que a polícia atua para identificar possíveis quadrilhas, que geralmente são de outros municípios ou estados, e destaca uma ação realizada recentemente. “Há pouco tempo foi feita uma operação da Polícia Civil em nível estadual em Passo Fundo, porque estelionatários, já com diversos antecedentes criminais pelo mesmo crime, estavam efetuando esses golpes, tanto de forma presencial quanto no online”, comenta.

Fique atento! 

- Se certifique de que a pessoa que se apresenta no WhatsApp é realmente ela, antes de realizar transferências bancárias ou efetuar negociações. Uma simples ligação telefônica pode ser útil.
- Desconfie de propostas milagrosas e descontos altos. “Um lojista, por mais que queira ganhar da concorrência, não consegue dar um desconto muito maior que os outros”, salienta Stobbe.
- Confira se o site é realmente o oficial. Visite o endereço diretamente - não clique em um link suspeito.
- Ative, no WhatsApp, a autenticação em duas etapas. A partir daí, sempre que alguém, em algum lugar, tentar entrar na sua conta por outro celular, você receberá um alerta.
Passo a passo
Acesse as configurações do WhatsApp, toque em “Conta”, depois em “Verificação em duas etapas” e depois toque em “Ativar”. Você precisará digitar uma senha de até seis dígitos para proteger sua conta. Evite usar números muito fáceis de adivinhar, como 1234 ou datas de aniversários.


Leia Também

Idoso agredido durante assalto ocorrido em abril morre em hospital

17/08/2019

Outra idosa, que estava junto na casa, faleceu no dia 21

Onda de furtos em cemitérios preocupa

16/08/2019

Em duas semanas, quatro comunidades registraram furtos de adornos em túmulos


Foragido é preso aguardando ônibus na rodoviária, em Estrela

14/08/2019

Homem utilizou documento falso para tentar enganar polícia

Preso por tráfico de drogas

13/08/2019

Com o homem foram encontradas 21 pedras de crack