Vale do Taquari

Resultado? Pouca representatividade

Mais de 25 mil eleitores compareceram às urnas em Colinas, Estrela e Imigrante, mas nenhum candidato natural do Vale foi eleito

11/10/2018 - Vale do Taquari

O domingo, dia 7, foi para que os eleitores pudessem escolher seus representantes. Mais uma vez, o Vale do Taquari teve dificuldade de se unir em nomes locais. Edson Brum (MDB), que mora em Encantado, é o único a assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa com moradia no Vale. Já a federal, não houve eleitos com residência, origem ou domicílio eleitoral na região.

De acordo com o cientista político, Renato Zanella, há uma fragmentação de lideranças que se repete no Vale. “Temos quatro candidatos à vice-presidente da República que são do Rio Grande do Sul, isso é simbólico e significativo. No Vale, novamente tivemos muita fala e pouca prática. Houve um discurso de unidade e representação política, mas ele de fato, não se realizou”, afirma.

Para Zanella, a explicação é a presença de migrantes e a falta de uma demanda urgente nos municípios. “Muita gente vem de fora, em Estrela por exemplo temos muitas pessoas da Zona Norte do Estado, e estas votam identificadas com sua origem. Além disso, se tivéssemos grandes deficiências, nós nos uniríamos, porque o povo só se une na desgraça, infelizmente. Então parece que o Vale não sente falta de representatividade e busca através dos mecanismos que tem, como cooperativas, empresas e comércio, se aproximar dos deputados eleitos, seja eles qual forem e de que região forem”, explica.

Questões partidárias

Zanella também cita as questões partidárias e de interesse pessoal que influenciaram nas eleições. Para ele, este pleito foi apenas para “manter o sistema”. “Não são só questões políticas de interesse coletivo envolvidas, mas sim de interesse pessoal. A maioria dos candidatos do Vale disputou com a intenção de divulgar seus nomes para futuramente concorreram ao cargo de prefeito em suas cidades. Além disso, o fundo partidário foi um dos motivos da fragmentação, porque os deputados eleitos é que distribuem para os novos. Porém, a população não foi manipulada pelos políticos, porque a renovação na assembleia foi de mais de 50%”, comenta.

Eleitores que compareceram nas urnas

Colinas: 2.221
Estrela: 21.295
Imigrante: 1.962

Segundo turno

No dia 28 de outubro, os eleitores retornam às urnas. Desta vez, decidem entre os candidatos à presidência, Jair Bolsonaro (PSL), que fez 46,03% dos votos no Brasil, e Fernando Haddad (PT), que alcançou 29,28%. Já no Estado, Eduardo Leite (PSDB) que fez 35,90% e José Ivo Sartori (MDB), com 31,11%, concorrem à governador.

Estrela

Presidente

Jair Bolsonaro (PSL) - 66,29% (13.320 votos)

Fernando Haddad (PT) - 12,56% (2.523 votos)

Ciro Gomes (PDT) - 8,36% (1.680 votos)

Geraldo Alckmin (PSDB) - 5,2% (1.045 votos)

João Amoêdo (NOVO) - 3,7% (743 votos)

Henrique Meirelles (MDB) - 1,96% (393 votos)

Alvaro Dias (PODE) - 0,62% (124 votos)

Cabo Daciolo (PATRI) - 0,46% (92 votos)

Guilherme Boulos (PSOL) - 0,41% (83 votos)

Marina Silva (REDE) - 0,4% (81)

João Goulart Filho (PPL) - 0,02% (5 votos)

Vera (PSTU) - 0,01% (2 votos)

Eymael (DC) - 0,01% (2 votos)

Brancos: 2,28% (485 votos)

Nulos: 3,37% (717 votos)


Governador

Eduardo Leite (PSDB): 40,53% (7.668 votos)

José Ivo Sartori (MDB): 40,09% (7.584 votos)

Miguel Rossetto (PT): 8,06% (1.524 votos)

Jairo Jorge (PDT): 6,73% (1.274 votos)

Mateus Bandeira (NOVO): 4,15% (785 votos)

Roberto Robaina (PSOL): 0,38% (71 votos)

Julio Flores (PSTU): 0,06% (11 votos)

Brancos: 4,35% (927 votos)

Nulos: 6,81% (1.451 votos)

Deputado estadual

1. Valmor Griebeler (PV): 24,11% (4.479 votos)
2. Comandante Nádia (MDB): 6,66% (1.238 votos)
3. Claudiomiro da Silva (PMN): 1.011 (5,92%)
4. Mariela Portz (PSDB): 3,71% (690 votos)
5. Enio Bacci (PDT): 3,39% (630 votos)
6. Tiago Simon (MDB):3,29% (612 votos)
7. Sidnei Eckert (MDB): 3,06% (568 votos)
8. Sérgio Kniphoff (PT): 2,89% (536 votos)
9. Douglas Sandri (NOVO): 2,88% (535 votos)
10. Dirceu do Busato (PTB): 2,51% (466 votos)
11. Edson Brum (MDB): 2,43% (452 votos)
12. Mareli Vogel (PP): 2,31% (429 votos)
13. Ruy Irigaray (PSL): 2,07% (384 votos)
14. Marquinho Lang (PRB): 1,95% (363 votos)
15. Catarina Paladini (PSB): 1,47% (274 votos)
16. Tenente Cor. Zucco (PSL): 1,46% (271 votos)
17. Vinicius Medeiros (PSDB): 1,39% (258 votos)
18. Raquel Klein Diehl (DEM): 1,15% (213 votos)
19. Tiago Baggiotto (MDB): 0,90% (167 votos)
20. Hiratan Pinheiro (PR): 0,87% (162 votos)
21. Elton Weber (PSB): 0,80% (149 votos)
22. Luis Fernando Schmidt (PT): 0,78% (145 votos)
23. Gaúcho da Geral (PSD): 0,55% (102 votos)
24. Any Ortiz (PPS): 0,55% (102 votos)
25. Luciana Genro (PSOL): 0,52% (96 votos)
26. Eduardo Virissimo (PP): 0,47% (87 votos)
27. Regina Fortunati (PTB): 0,37% (68 votos)
28. Fábio Ostermann (NOVO): 0,37% (68 votos)
29. Celso Kramer (PTB): 0,35% (65 votos)
30. Ernani Polo (PP): 0,34% (63 votos)
Brancos: 6,77% (1.442 votos)
Nulos: 5,99% (1.275 votos)
*Apenas os 30 primeiros colocados foram considerados, sendo que 376 fizeram votos na cidade


Deputado federal

1. Márcia Scherer (MDB): 18,38% (3.381 votos)
2. Ricardo Wagner (PR): 9,29% (1.709 votos)
3. Marcel Van Hattem (NOVO): 7,12% (1.310 votos)
4. Maurício Dziedricki (PTB): 5,80% (1.066 votos)
5. Giovani Feltes (MDB): 4,43% (814 votos)
6. Lucas Redecker (PSDB): 3,78% (695 votos)
7. Onyx Lorenzoni (DEM): 3,28% (603 votos)
8. Alceu Moreira (MDB): 3,27% (601 votos)
9. Heitor Schuch (PSB): 2,81% (516 votos)
10. Ronaldo Nogueira (PTB): 2,23% (411 votos)
11. Giovani Cherini (PR): 1,81% (332 votos)
12. Marlon Santos (PDT): 1,52% (279 votos)
13. Paulo Tori (PPL): 1,40% (257 votos)
14. Danrlei de Deus (PSD): 1,39% (255 votos)
15. Bohn Gass (PT): 1,18% (217 votos)
16. Maria Do Rosário (PT): 1,10% (203 votos)
17. Fernanda Melchionna (PSOL): 1,07% (197 votos)
18. José Stédile (PSB): 1,06% (195 votos)
19. Mano Changes (PV): 1,06% (195 votos)
20. Afonso Hamm (PP): 1,03% (190 votos)
21. Valter da Rosa (PRP): 1,02% (188 votos)
22. Jerônimo Goergen (PP): 1,01% (185 votos)
23. Sanderson Federal (PSL): 0,98% (181 votos)
24. Bibo Nunes (PSL): 0,90% (165 votos)
25. Carlos Gomes (PRB): 0,78% (144 votos)
26. Paulo Pimenta (PT): 0,75% (138 votos)
27. Lourdes Sprenger (MDB): 0,72% (132 votos)
28. Márcio Biolchi (MDB): 0,67% (123 votos)
29. Yeda Crusius (PSDB): 0,66% (121 votos)
30. Goldenberg GOLD (PSL): 0,58% (106 votos)
Brancos: 7,34% (1.562 votos)
Nulos: 6,31% (1.343)
*Apenas os 30 primeiros colocados foram considerados , sendo que 255 fizeram votos na cidade

Imigrante

Presidente

Jair Bolsonaro (PSL): 54,69% (1.120 votos)

Fernando Haddad (PT): 15,09% (309 votos)

Geraldo Alckmin (PSDB): 10,4% (213 votos)

Ciro Gomes (PDT): 8,11% (166 votos)

João Amoêdo (NOVO): 5,86% (120 votos)

Henrique Meirelles (MDB): 3,56% (73 votos)

Alvaro Dias (PODE): 0,88% (18 votos)

Cabo Daciolo (PATRI): 0,44% (9 votos)

Guilherme Boulos (PSOL): 0,39% (8 votos)

Marina Silva (REDE): 0,24% (5 votos)

Vera (PSTU): 0,2% (4 votos)

João Goulart Filho (PPL): 0,1% (2 votos)

Eymael (DC): 0,05% (1 voto)

Brancos: 3,56% (79 votos)

Nulos: 4,23% (94 votos)


Governador

José Ivo Sartori (MDB): 49,27% (949 votos)

Eduardo Leite (PSDB) :36,03% (694 votos)

Miguel Rossetto (PT): 7,94% (153 votos)

Jairo Jorge (PDT): 4,31% (83 votos)

Mateus Bandeira (NOVO): 2,18% (42 votos)

Roberto Robaina (PSOL): 0,16% (3 votos)

Julio Flores (PSTU): 0,10% (2 votos)

Brancos: 5,99% (133 votos)

Nulos: 7,29% (162 votos)


Deputado estadual

1. Sérgio Kniphoff (PT): 9,92% (175 votos)
2. Mareli Vogel (PP): 8,90% (157 votos)
3. João Fischer (PP): 7,54% (133 votos)
4. Enio Bacci (PDT): 4,59% (81 votos)
5. Boessio (MDB): 4,31% (76 votos)
6. Tiago Simon (MDB): 4,14% (73 votos)
7. Regina B. Fortunati (PTB): 3,97% (70 votos)
8. Sidnei Eckert (MDB): 3,00% (53 votos)
9. Gaúcho da Geral (PSD): 2,89% (51 votos)
10. Comandante Nádia (MDB): 2,72% (48 votos)
11. Mariela Portz (PSDB): 2,72% (48 votos)
12. Raquel Klein Diehl (DEM): 2,21% (39 votos)
13. Douglas Sandri (NOVO): 2,15% (38 votos)
14. Silvana Covatti (PP): 2,04% (36 votos)
15. Valmor Griebeler (PV): 1,93% (34 votos)
16. Elton Weber (PSB): 1,93% (34 votos)
17. Vinicius Medeiros (PSDB): 1,87% (33 votos)
18. Costella (MDB): 1,42% (25 votos)
19. Marquinho Lang (PRB): 1,42% (25 votos)
20. Tenente Cor. Zucco (PSL): 0,96% (17 votos)
21. Tiago Baggiotto (MDB): 0,91% (16 votos)
22. Carlos Búrigo (MDB): 0,85% (15 votos)
23. Clair Kuhn (MDB): 0,79% (14 votos)
24. Luis Fernando Schmidt (PT): 0,74% (13 votos)
25. Edson Brum (MDB): 0,74% (13 votos)
26. Any Ortiz (PPS): 0,74% (13 votos)
27. Airton Artus (PDT): 0,68% (12 votos)
28. Ruy Irigaray (PSL): 0,68% (12 votos)
29. Gilberto Baldasso (MDB): 0,62% (11 votos)
30. Reginaldo Morais (DEM): 0,62% (11 votos)
Brancos: 10,49% (233)
Nulos: 10,09% (224)
*Apenas os 30 primeiros colocados foram considerados, sendo que 134 fizeram votos

Deputado federal

1. Alceu Moreira (MDB): 16,75% (302 votos)
2. Cajar Nardes (PODE): 11,65% (210 votos)
3. Renato Molling (PP): 7,76% (140 votos)
4. Márcia Scherer (MDB): 6,99% (126 votos)
5. Lucas Redecker (PSDB): 5,32% (96 votos)
6. Marcel Van Hattem (NOVO): 4,49% (81 votos)
7. Heitor Schuch (PSB): 3,99% (72 votos)
8. Bohn Gass (PT): 2,77% (50 votos)
9. Onyx Lorenzoni (DEM): 2,61% (47 votos)
10. Marlon Santos (PDT): 2,61% (47 votos)
11. Giovani Feltes (MDB): 2,50% (45 votos)
12. Paulo Pimenta (PT): 2,50% (45 votos)
13. Danrlei de Deus (PSD): 2,38% (43 votos)
14. Covatti Filho (PP): 1,89% (34 votos)
15. Carlos Gomes (PRB): 1,50% (27 votos)
16. Ricardo Wagner (PR): 1,22% (22 votos)
17. Mano Changes (PV): 1,05% (19 votos)
18. Diego Pretto (PP): 1,00% (18 votos)
19. Elemar Sand (PDT): 0,94% (17 votos)
20. José Otávio Germano (PP): 0,89% (16 votos)
21. Bibo Nunes (PSL): 0,78% (14 votos)
22. Sanderson Federal (PSL): 0,78% (14 votos)
23. Maria do Rosário (PT): 0,72% (13 votos)
24. Afonso Hamm (PP): 0,67% (12 votos)
25. Ronaldo Nogueira (PTB): 0,67% (12 votos)
25. Giovani Cherini (PR): 0,50% (9 votos)
27. Jerônimo Goergen (PP): 0,50% (9 votos)
28. Ito Muller (PPS): 0,44% (8 votos)
29. Henrique Fontana (PT): 0,39% (7 votos)
30. Márcio Biolchi (MDB): 0,39% (7 votos)
Brancos: 10,27% (228 votos)
Nulos: 8,55% (190 votos)
*Apenas os 30 primeiros colocados foram considerados, sendo que 98 fizeram votos

Colinas

Presidente

Jair Bolsonaro (PSL): 63,02% (1.152 votos)

Fernando Haddad (PT):  13,57% (248 votos)

Ciro Gomes (PDT): 5,85% (107 votos)

Geraldo Alckmin (PSDB): 7,44% (136 votos)

João Amoêdo (NOVO): 4,21% (77 votos)

Cabo Daciolo (PATRI): 0,27% (5 votos)

Henrique Meirelles (MDB): 3,94% (72 votos)

Marina Silva (REDE): 0,55% (10 votos)

Alvaro Dias (PODE): 0,6% (11 votos)

Guilherme Boulos (PSOL): 0,38% (7 votos)

Vera (PSTU): 0% (0 votos)

Eymael (DC): 0,05% (1 voto)

João Goulart Filho (PPL): 0,11% (2 votos)

Brancos: 42

Nulos: 92

 

Governador

José Ivo Sartori (MDB): 44,17% (758 votos)

Eduardo Leite (PSDB): 41,78% (717 votos)

Miguel Rossetto (PT): 6,06% (104 votos)

Jairo Jorge (PDT): 4,95% (85 votos)

Mateus Bandeira (NOVO): 2,62% (45 votos)

Roberto Robaina (PSOL): 0,23% (4 votos)

Julio Flores (PSTU): 0,17% (3 votos)

Brancos: 76 votos

Nulos: 170votos

Deputado estadual

1. Sidnei Eckert (MDB): 15,06% (254 votos)
2. Mareli Vogel (PP): 11,97% (202 votos)
3. Mariela Portz (PSDB): 9,60% (162 votos)
4. Raquel Klein Diehl (DEM): 7,47% (126 votos)
5. Celso Kramer (PTB): 7,17% (121 votos)
6. Edson Brum (MDB): 3,97% (67 votos)
7. Elton Weber (PSB): 3,20% (54 votos)
8. Enio Bacci (PDT): 3,08% (52 votos)
9. Boessio (MDB): 2,55% (43 votos)
10. Sergio Kniphoff (PT): 2,37% (40 votos)
11. Airton Lima (PR): 2,31% (39 votos)
12. Valmor Griebeler (PV): 2,02% (34 votos)
13. Luis Fernando Schmidt (PT): 1,66% (28 votos)
14. Claudiomiro da Silva (PMN): 1,60% (27 votos)
15. Vinicius Medeiros (PSDB): 1,54% (26 votos)
16. Douglas Sandri (NOVO): 1,19% (20 votos)
17. Ruy Irigaray (PSL): 1,07% (18 votos)
18. Comandante Nádia (MDB): 0,95% (16 votos)
19. Ernani Polo (PP): 0,95% (16 votos)
20. Tenente Cor. Zucco (PSL): 0,89% (15 votos)
21. Tiago Simon (MDB): 0,83% (14 votos)
22. Reginaldo Morais (DEM): 0,59% (10 votos)
23. Gilberto Capoani (MDB): 0,47% (8 votos)
24. João Fischer (PP): 0,47% (8 votos)
25. Tiago Baggiotto (MDB): 0,47% (8 votos)
26. Gaúcho da Geral (PSD): 0,47% (8 votos)
27. Pepe Vargas (PT): 0,41% (7 votos)
28. Elizandro Sabino (PTB): 0,41% (7 votos)
29. Airton Artus (PDT): 0,36% (6 votos)
30. Regina Fortunati (PTB): 0,36% (6 votos)
Brancos: 5,91% (116 votos)
Nulos: 8,10% (159 votos)
*Apenas os 30 primeiros colocados foram considerados , sendo que 117 fizeram votos na cidade

Deputado federal
1. Alceu Moreira (MDB): 12,95% (219 votos)
2. Márcia Scherer (MDB): 11,35% (192 votos)
3. Marcelo Moraes (PTB): 9,58% (162 votos)
4. Lucas Redecker (PSDB): 8,10% (137 votos)
5. Onyx Lorenzoni (DEM): 6,27% (106 votos)
6. Heitor Schuch (PSB): 5,62% (95 votos)
7. Ricardo Wagner (PR): 4,44% (75 votos)
8. Marcel Van Hattem (NOVO): 4,08% (69 votos)
9. Pedro Westphalen (PP): 3,84% (65 votos)
10. Márcio Biolchi (MDB): 3,37% (57 votos)
11. Jerônimo Goergen (PP): 2,78% (47 votos)
12. Goleiro Galatto (PPS): 1,95% (33 votos)
13. Giovani Feltes (MDB): 1,66% (28 votos)
14. Bohn Gass (PT): 1,42% (24 votos)
15. Renato Molling (PP): 1,24% (21 votos)
16. Marlon Santos (PDT): 1,06% (18 votos)
17. Paulo Tori (PPL): 1,01% (17 votos)
18. Ito Muller (PPS): 0,95% (16 votos)
19. Paulo Pimenta (PT): 0,89% (15 votos)
20. Pompeo de Mattos (PDT): 0,77% (13 votos)
21. Dr.Elemar Sand (PDT): 0,71% (12 votos)
22. Giovani Cherini (PR): 0,71% (12 votos)
23. Diego Pretto (PP): 0,71% (12 votos)
24. Ronaldo Nogueira (PTB): 0,59% (10 votos)
25. Maurício Dziedricki (PTB): 0,53% (9 votos)
26. Afonso Hamm (PP): 0,47% (8 votos)
27. Sanderson Federal (PSL): 0,47% (8 votos)
28. Mano Changes (PV): 0,47% (8 votos)
29. Danrlei de Deus (PSD): 0,41% (7 votos)
30. Fernanda Melchionna (PSOL): 0,35% (6 votos)
Brancos: 5,61% (110 votos)
Nulos: 8,21% (161 votos)
*Apenas os 30 primeiros colocados foram considerados, sendo que 98 fizeram votos na cidade

Demora nas filas

As filas que aconteceram em diversas sessões eleitorais nas eleições foram o principal motivo de reclamação dos eleitores em Estrela. Alguns chegaram a esperar mais de uma hora para conseguir votar e a demora foi justificada pelo novo sistema de identificação biométrica.
De acordo com a chefe do Cartório da 21ª Zona Eleitoral, Simone Krás Amoretti, apesar de alguns eleitores já possuírem a biometria cadastrada na eleição de 2016, o número foi mais expressivo neste pleito. “Temos convicção de que com a experiência dos mesários no 2º turno, a tendência é de que o número de problemas na identificação caia significativamente”, afirma.

Além disso, ela explica que no domingo, ao receberam ligações de mesários, foram deslocados técnicos para as sessões, e que estes auxiliaram no modo de a posição dos dedos para a captura. “Isso resultou em benefício e maior rapidez nas demais identificações de eleitores. Para o 2º turno planejamos que seja feita uma ronda nos locais de votação, pela equipe técnica, com o intuito de esclarecer dúvidas ou dificuldades com o equipamento da biometria”, destaca.

Mas ela explica que existem pessoas cujo reconhecimento das impressões digitais é mais complicado pelas características próprias da digital, e que, nestes casos, realmente será muito difícil alcançar êxito na identificação. “De qualquer forma, em nenhum local de votação da zona eleitoral tivemos fila após as 17h, portanto, não registramos atraso no processo em razão da identificação biométrica”, comenta. 

Avaliação dos candidatos

- Deputado estadual, Claudiomiro da Silva (PMN): “Agradeço aos eleitores pelos 6.084 votos recebidos e quero dizer que meu objetivo não foi alcançado no momento, mas não vou desistir e estou procurando um novo partido que se preocupe um pouco mais com o povo. O que aborrece é que os eleitores tiraram os velhos políticos e não colocaram novos representantes do Vale do Taquari, pois o que me trouxe até aqui foi a minha indignação com o fato de que os mesmos não nos representavam mais. Eu nunca tinha concorrido à tamanho cargo público e minha pessoa surgiu devido às grandes ações e aos resultados obtidos, representando os menos favorecidos. Quero deixar aqui meus agradecimentos pelos votos recebidos e dizer que lutarei sim pelo povo, para o povo e para as pessoas do bem. E que ainda sonham em trocar seus representantes municipais, adianto que estarei possivelmente concorrendo.”

- Deputada estadual, Raquel Klein Diehl (DEM): “Participamos das Eleições 2018 levando nossa proposta de trabalhar pela agricultura, por mais creches e de representação ativa da região. Queremos agradecer aos 1.079 eleitores que depositaram a confiança em nosso nome e os 183.518 mil gaúchos que votaram em meu padrinho político Onyx Lorenzoni a deputado federal. Nas próximas eleições trabalharemos nos bastidores da política e ainda avaliaremos a participação de uma possível candidatura.”

- Deputado estadual, Valmor Griebeler (PV): “Fizemos, ao lado de uma equipe profissional e dedicada, uma campanha limpa e honesta, sempre trabalhando com a verdade. Afirmamos para a comunidade regional que seria viável nos elegermos com 15 mil votos, o que os números da coligação demonstraram ser real. Infelizmente não alcançamos essa votação, mas somos imensamente gratos pela confiança de 7.204 eleitores, de Estrela, da região e do Estado. É uma lástima o Vale do Taquari, tão rico e próspero, ficar sem representação na Assembleia Legislativa. Sobre a possibilidade de concorrer no futuro, ainda é cedo para dizer, mas o que tenho certeza é de que gosto de política e que acredito que não existem cadeiras vazias, elas são sempre ocupadas. Que sejam por aqueles que querem construir o melhor para sua comunidade.”

- Deputado federal, Ricardo Wagner (PR): “Gostaria de agradecer a todos pelo esforço e dedicação. Este era um projeto de Deus! Estávamos envolvidos em algo maior que nós! Fiz o máximo que podia ter feito, dediquei integralmente meu tempo e recursos. Assim, apesar de não alcançarmos os resultados desejados, tenho o sentimento de dever cumprido. Jamais digamos que este resultado é a vontade de Deus! A vontade de Deus era outra! Esta foi a decisão dos homens! Então, novamente, obrigado por terem acreditado neste projeto. Infelizmente não chegamos lá, mas aprendemos muito. Eu pessoalmente estou com meu coração muito tranquilo. Bênçãos sobre todos!”

- Deputado federal, Valter da Rosa (PRP): “Na democracia, o peso do dinheiro define quem ganha e quem perde uma eleição e enquanto os vitoriosos forem definidos desta maneira, a corrupção tende a prosseguir. O nosso sistema político é perverso: do jeito que está, é bom para os políticos, mas ruim para o povo. O que fica de importante nesta eleição é a lembrança de tanta gente que, sem ganhar nada, apoiou a candidatura. O período de campanha foi curtíssimo e a receptividade dos estrelenses que consegui visitar foi fantástica. Enquanto eu tiver energia para lutar pelas causas que interessam ao nosso povo e enquanto os problemas mais graves, como corrupção e falta de segurança pública, não forem resolvidos, a possibilidade de concorrer novamente é uma realidade.”

 


Leia Também

Eleitas equipes diretivas das escolas estaduais

07/12/2018

Colinas, Estrela e Imigrante conhecem novos comandos

OAB faz eleição para diretoria

23/11/2018

Estrela tem chapa única chamada OAB Unida


Violência não reduzirá, diz pesquisa

23/11/2018

Opinião foi compartilhada por maioria dos entrevistados. La Salle ouviu moradores de Estrela, Lajeado e Teutônia

Cinco dicas para evitar uma "black fraude" na internet

19/11/2018

Saiba como não ser enganado nas compras de liquidação pela internet; Comércio eletrônico é seguro, mas requer atenção