Vale do Taquari

Sala Google traz novo conceito de tecnologia para o aprendizado no Colégio Teutônia

Com uma proposta tecnológica diferenciada, espaço estimula relação mais próxima entre professores e estudantesCom uma proposta tecnológica diferenciada, espaço estimula relação mais próxima entre professores e estudantes

12/02/2018 - Vale do Taquari

A tecnologia e a inovação sempre estiveram diretamente alinhadas à proposta pedagógica e ao trabalho em educação desenvolvido há 65 anos no Colégio Teutônia. Ao longo de mais de seis décadas, o processo de formação de pessoas e profissionais qualificados para o mercado sempre encontrou na tecnologia um grande aliado.

Nesse contexto, uma das grandes novidades para o ano letivo de 2018, que inicia no dia 14 de fevereiro, será a Sala Google, um novo conceito que desmistifica os tradicionais modelos de ensino e arquitetônico, estimulando a interação e a relação mais próxima entre professores e estudantes. “A Sala Google é uma potencialização do que já fazemos em nossa proposta social de educação. O novo espaço reflete a valorização da troca, do relacionamento entre estudantes, professores e o mundo”, destaca o diretor do Colégio Teutônia, Jonas Rückert.

O ambiente apresenta design arquitetônico diferenciado, tendência pedagógica já consolidada internacionalmente. Ao invés das tradicionais classes, haverá pufes e almofadas, e substituindo PCs e notebooks, toda agilidade e tecnologia dos Chromebooks. O projeto é uma parceria do Colégio Teutônia com o setor de educação do Google e a Associação de Pais e Professores (APP) do CT, que contribuiu com o repasse de recursos financeiros fundamentais para reestruturação do espaço físico. “A ideia é concretizar em arquitetura o que já marca a tendência contemporânea do ambiente educacional: a construção conjunta do conhecimento por estudantes e professores, inserindo a tecnologia como ferramenta de compartilhamento e de motivação, estimulando de maneira diferenciada a produtividade nas salas de aula”, destaca a coordenadora do Setor de Informática do CT, professora Ana Lúcia dos Santos Hamester.

Todos os níveis de ensino do educandário terão acesso à Sala Google, cujo processo de transição dos tradicionais laboratórios de informática, que seguirão atendendo estudantes e professores com a utilização de softwares convencionais, será de forma gradual, iniciando com formação para docentes e discentes quanto ao uso das novas tecnologias. O projeto, além do ambiente especial, ainda conta com a adesão do CT à plataforma Google for Education (Google para Educação), uma série de ferramentas de comunicação acessíveis a qualquer momento e por meio de qualquer dispositivo, que potencializam a relação entre escola, estudantes e comunidade escolar. “O Google for Education traz uma série de vantagens para dinamizar o ensino. Livros, documentos, trabalhos, e-mails, agendas e tarefas passam a ser acessados e modificados na nuvem, transformando-se num registro do que é produzido em sala de aula e possibilitando a ampliação do aprendizado. O armazenamento de arquivos é ilimitado, evitando excesso de materiais físicos e impressões”, explica Ana Lúcia.

A ferramenta também é uma aliada para trabalhos em grupo por permitir a interação e as alterações de arquivos, possibilitando que as tarefas sejam feitas e compartilhadas em tempo real. A mesma interação também ocorre entre estudantes e professores pela agilidade de feedbacks e orientações, com aulas diferenciadas e mais atrativas.

A estruturação da Sala Google do Colégio Teutônia iniciou no mês de janeiro e o ambiente deve ser inaugurado ainda no mês de fevereiro.


Leia Também

Desafios e oportunidades da contabilidade

20/09/2018

Neste domingo, dia 22, é comemorado o Dia do Contador

DCE Univates inaugura novo sistema de impressão de carteiras estudantis

20/09/2018

O documento obedece ao padrão nacional exigido para que os estudantes obtenham descontos


Amvat apoia encontro sobre e-Social nesta terça-feira

17/09/2018

Evento gratuito ocorre na sala de reuniões da Cacis, a partir das 14h

MPT obtém liminar contra Minuano de Lajeado

14/09/2018

Frigorífico inspecionado pela força-tarefa em 2015, 2016 e 2017 não corrige irregularidades como limitação de horas extras, concessão de intervalos de almoço e repouso semanal remunerado