Estado

Secretaria da Saúde alerta profissionais de saúde para possíveis casos de meningite

23/08/2017 - Estado

A Secretaria da Saúde (SES) faz um alerta aos profissionais de saúde, que atuam em emergências pediátricas e demais serviços, para que estejam atentos a possíveis casos de meningite. Os principais sintomas da doença são febre alta de início repentino, dor de cabeça, vômitos, naúseas, rigidez de nuca e manchas vermelhas na pele. Em crianças menores de um ano, é importante também observar a moleira tensa ou elevada, irritabilidade, inquietação, choro agudo e persistente e rigidez corporal, com ou sem convulsões.

Este ano, já foram registrados 59 casos e nove óbitos por meningite do tipo meningocócica, no Rio Grande do Sul. O maior número de casos se concentra em Porto Alegre e Canoas. No último fim de semana, a Secretaria de Saúde de Canoas registrou dois casos em crianças. Em Porto Alegre, uma criança de três anos está internada em UTI.

Essa situação reitera a importância da vacinação em crianças, adolescentes e jovens. Nessa segunda-feira (21), começou a Semana de Multivacinação dos Adolescentes, com o objetivo de atualizar a situação vacinal desse público. Uma das vacinas é a Meningocócica C, que protege contra um dos tipos de meningite bacteriana. Neste período, também estão sendo disponibilizadas as vacinas contra HPV, Hepatite B, Difteria e Tétano, Febre Amarela, Sarampo, Caxumba e Rubéola.


Leia Também

Mudança retira a possibilidade de parcelamentos no IPVA

04/11/2019

Mudanças foram anunciadas nesta segunda-feira

Começa nesta semana pagamento de R$ 500 por conta do FGTS

09/09/2019

Cerca de 33 milhões de trabalhadores receberão o crédito automático na conta poupança


Inscrições para o 1º concurso de Aplicativos e Games das escolas estaduais terminam no dia 12

02/07/2019

Premiação inclui valor em dinheiro, medalhas e uma viagem

Receita Estadual intensifica em todo o Estado operações contra inadimplência do IPVA

03/06/2019

Depois de 60 dias em atraso, ocorre a inscrição em dívida ativa, quando há acréscimo de 5% sobre o valor do tributo não pago.