Vale do Taquari

Sinduscom-VT assina convenções coletivas com dois sindicatos da região

Reajuste de 3% sobre salários-base de 1º de maio de 2017 foi firmado

19/06/2018 - Vale do Taquari

O Sindicato das Indústrias da Construção, Mobiliário, Marcenarias, Olarias e Cerâmicas para a Construção, Artefatos e Produtos de Cimento e Concreto Pré-Misturados do Vale do Taquari (Sinduscom-VT) finalizou as tratativas da convenção coletiva de 2018 com os sindicatos laborais de Estrela e Lajeado. A comissão do Sinduscom-VT, integrada por diretores dos setores representados pelo sindicato e coordenada pelo presidente José Zagonel, firmou o reajuste de 3% sobre os salários-base de 1° de maio de 2017, válida a partir de maio deste ano.

As tratativas assinadas com o sindicato laboral de Lajeado abrangem os municípios de Anta Gorda, Arroio do Meio, Capitão, Cruzeiro do Sul, Doutor Ricardo, Encantado, Ilópolis, Lajeado, Marques de Souza, Muçum, Nova Bréscia, Pouso Novo, Progresso, Putinga, Relvado, Roca Sales, Santa Clara do Sul, Sério e Travesseiro. A base territorial do sindicato dos trabalhadores de Estrela abrange Boa Vista do Sul, Bom Retiro do Sul, Colinas, Estrela, Fazenda Vilanova, Imigrante, Paverama, Poço das Antas, Tabaí, Teutônia e Westfália.

 

Pisos salariais por categoria:

Mobiliário, Marcenarias e Esquadrias

Contrato de experiência (60 d) = R$ 1.246,30 p/mês ou R$ 5,67 p/hora

Após contrato de experiência = R$ 1.287,09 p/mês ou R$ 5,85 p/hora

Profissionais = R$ 1.441,18 p/mês ou R$ 6,55 p/hora

(Assim considerados: serrador de madeiras, lixador, lustrador, montador e pintor de móveis)

Marceneiro / esquadrieiro = R$ 1.824,13 p/mês ou R$ 8,29 p/hora

Aos “aprendizes” referidos pelo Decreto nº 5.598, de 1º/12/2005 (D.O.U. 02/12/2005), um piso/hora de R$ 4,87 por hora (R$ 1.071,82 p/mês)

 

Construção Civil e Similares

Servente = R$ 1.221,37 p/mês ou R$ 5,55 p/hora

Oficiais = R$ 1.631,52 p/mês ou R$ 7,42 p/hora

(Assim considerados: pedreiros, ferreiros, carpinteiros, pintores, azulejistas, gesseiros ou assemelhados, colocadores de basalto, parqueteiros, pastilheiros, marmoristas, oficiais eletricistas e oficiais hidráulicos)

Aos “aprendizes” referidos pelo Decreto nº 5.598, de 1º/12/2005 (D.O.U. 02/12/2005), um piso/hora de R$ 4,87 por hora (R$ 1.071,82 p/mês)

 

Olarias e Cerâmicas para Construção

Servente = R$ 1.221,37 p/mês ou R$ 5,55 p/hora

Profissionais = R$ 1.631,52 p/mês ou R$ 7,42 p/hora

(Assim considerados: mecânicos, eletricistas, operadores de máquinas automotoras (trator, pá-carregadeira e similares) e o responsável pelo cozimento (queimador) e secagem).


Leia Também

Desafios e oportunidades da contabilidade

20/09/2018

Neste domingo, dia 22, é comemorado o Dia do Contador

DCE Univates inaugura novo sistema de impressão de carteiras estudantis

20/09/2018

O documento obedece ao padrão nacional exigido para que os estudantes obtenham descontos


Amvat apoia encontro sobre e-Social nesta terça-feira

17/09/2018

Evento gratuito ocorre na sala de reuniões da Cacis, a partir das 14h

MPT obtém liminar contra Minuano de Lajeado

14/09/2018

Frigorífico inspecionado pela força-tarefa em 2015, 2016 e 2017 não corrige irregularidades como limitação de horas extras, concessão de intervalos de almoço e repouso semanal remunerado