Estrela

Um recomeço após o choque

Leandro Görgen saiu do hospital esta semana após sobreviver a uma descarga elétrica em Estrela

13/12/2019 - Estrela

Nas últimas semanas de novembro, três homens foram vítimas de choques elétricos em Estrela. Dois faleceram, e um sobreviveu. Leandro Görgen (foto), que permaneceu internado durante seis dias na UTI e quatro em quarto no Hospital Estrela, retornou para casa nesta semana.
Do dia do ocorrido, Görgen não se recorda de nada. Nem de como chegou à residência naquele dia. A esposa, Viviane Schmidt, é quem recorda com detalhes do acidente.


“Ele subiu no telhado para limpar a calha e me chamou para levar uma pá. Vi que ele encostou a mão e ficou com a mão presa. Ele disse: “me ajuda” e eu achei que ele tinha prendido a mão ou cortado, perguntei o que houve e ele não me respondeu mais.”

Socorro imediato

Alguns meses antes do acidente, Viviane lembra que o esposo havia comentado que sentiu um “choquezinho” no mesmo local do telhado e, por isso, logo percebeu que Görgen estava sendo atingido por uma descarga elétrica. “Desliguei todos os disjuntores e ouvi ele caindo, porque ele estava em pé. Ele apagou em cima do telhado e eu sai correndo, gritando para os vizinhos ligarem para o socorro”, conta.

Como é fisioterapeuta, Viviane conhece as práticas de reanimação e prontamente iniciou o primeiro atendimento no esposo. “Subi no telhado e comecei a massagear e a fazer a respiração nele”, conta. “Foi ela que me salvou”, complementa Görgen.

Recuperação

O Corpo de Bombeiros de Estrela foi o primeiro a chegar no local. Em seguida, Görgen foi encaminhado ao hospital pelo Samu.
No hospital, os médicos já adiantavam que a situação era grave. “Eles não garantiam que daria para salvar ele. Era um dia após o outro”, recorda Viviane.

Görgen saiu praticamente ileso. Sente algumas dores no peito, oriundas das massagens cardíacas, está com alguns lapsos de memória e faz acompanhamento no neurologista. “Eu não me lembro de nada. Não lembro o que estava fazendo, nem se doeu. Só lembro quando estava saindo do hospital”, diz Leandro.

“Ele esqueceu algumas palavras, nomes, estava muito confuso. Aos poucos estamos recordando coisas que ele esqueceu”, salienta a esposa.
Uma das lembranças que Görgen havia perdido, era da morte da mãe, falecida em 1996 por um choque elétrico. “Ela estava lavando o banheiro com lava-jato. Eu que achei ela e chamei o socorro”, diz Görgen.

Aprendizado

“É um milagre, ele nasceu de novo”, é isso que a esposa Viviane destaca do ocorrido. A única certeza de Görgen, é que nunca mais subirá no telhado. “A melhor coisa é contratar alguém que domina. Nunca mais vou mexer com coisas de eletricidade”, adianta.

“Minha esposa estava aqui, ela me salvou. Se ela não estivesse em casa, teria sido pior a situação”, destaca. “Foi uma luz. Eu não sei explicar, é uma coisa que tu simplesmente faz e não pensa”, complementa Viviane.


Leia Também

Família quer explicações após morte de bebê

24/01/2020

Após morte de Isac Natalício da Silva, sindicância vai apurar falhas em atendimento

Estrela registra queda em sete indicadores criminais

24/01/2020

Redução pode ser justificada pelo aumento do efetivo e de prisões, conforme a Brigada Militar


Caminhada pelo menino Isac será realizada sábado

24/01/2020

Família e amigos sairão da Rodoviária em direção ao Hospital Estrela

Feira do Peixe de Estrela: segunda edição no sábado

23/01/2020

Com preço das carnes em alta, procura por opções como o peixe cresce e pedidos pela feira de Estrela também