Estrela

Uma história moldada por pessoas

Ari Gabriel Fischer sofreu um infarto durante um dos bailes do Chucrute em 1995

24/05/2019 - Estrela

A tradição de fazer parte dos Grupos de Danças passa de geração em geração. Em 55 anos, centenas de dançarinos já fizeram parte desta história. Muitos já partiram e outros tantos ainda irão chegar.

A família Fischer é um exemplo de tradição. O casal Ari Gabriel e Liselote iniciaram nos Grupos e passaram a paixão pela dança para a filha, Gabriela, que hoje já leva o pequeno Joaquim, de 8 anos, para dançar. Mas, por trás de tanta tradição, há uma história de superação.
No dia 20 de maio de 1995, durante um dos bailes do Chucrute, Ari, na época com 62 anos, sofreu um infarto fulminante e faleceu. “Uns minutos antes do ocorrido ele disse à minha mãe que se ele morresse naquele dia, estaria feliz. Superamos essa situação com o carinho que todos tiveram por nós. A alegria que ele tinha em participar era tão grande que em cada festival sinto como se ele estivesse celebrando conosco”, conta Gabriela.

Gabriela já faz parte dos grupos há 35 anos e destaca que o festival traz fortes emoções para a família. “É com grande alegria que parabenizo o admirável trabalho de nosso instrutor Andréas Hamester e da Mari e sua equipe, que contam também com o apoio da comunidade IECLB. É um trabalho de dedicação, competência e muito amor que é cultivado de geração em geração. Fruto disto, nós pais, incentivamos nossos filhos a darem continuidade a bonita história que nossos antepassados construíram, pois vejo benefícios como a integração, comprometimento, amizades, diversão e alegria. Só tenho a agradecer pelo privilégio de poder fazer parte desta história”, conta.


Leia Também

ALFAB&LETRAR realiza ações em escolas

19/09/2019

Projeto da Univates atua em duas escolas de Estrela

Desfile encerra festejos em Estrela

19/09/2019

Programações alusivas à Festa dos Gaúchos incluem apresentações artísticas e almoço com o tradicional costelão


Alunos do IEEEM protestam contra corte de árvores

19/09/2019

Fato ocorreu na Rua Mathias Ruschel Sobrinho, ao lado do IEEEM

Apenas 14,9% das vagas de emprego foram preenchidas

19/09/2019

De janeiro a junho, apenas 60 vagas, das 401 oferecidas, foram preenchidas