Vale do Taquari

Violência não reduzirá, diz pesquisa

Opinião foi compartilhada por maioria dos entrevistados. La Salle ouviu moradores de Estrela, Lajeado e Teutônia

23/11/2018 - Vale do Taquari

Levantamento de dados feito pela Faculdade La Salle Estrela mostra que maioria dos entrevistados não acredita na redução da violência e se sente mais seguro em casa do que na rua. A pesquisa foi realizada com moradores de Estrela, Lajeado e Teutônia e foi debatida na noite desta quinta-feira, no 9º Fórum de Ensino Superior.

Diferentemente de 2017, neste ano a faculdade atendeu o pedido dos órgãos de segurança pública e ampliou seu trabalho de pesquisa e cruzamento de informações para mais duas cidades, fechando assim a percepção dos moradores nos três principais municípios do Vale do Taquari, em número de habitantes.

De acordo com o diretor da Faculdade, Irmão Marcos Corbellini, com o envolvimento das três maiores comunidades do Vale é possível auxiliar os órgãos competentes a mapear os principais fatores e percepções de violência e, com isso, traçar ações estratégicas.

A diretora acadêmica da Faculdade e coordenadora desta pesquisa, Andréa Gerhardt, complementa que a pesquisa tem informações importantes para todos os órgãos e será repassada para diferentes líderes regionais e estaduais. “Foram 33 questões que nos permitiram identificar a percepção dos residentes e fazer cruzamentos entre as perguntas para novas análises.”

A pesquisa

A pesquisa é da Faculdade La Salle Estrela, com apoio da Fundação La Salle e Câmara do Comércio, Indústria e Serviços (Cacis) de Estrela. Foi realizada por acadêmicos pesquisadores selecionados por edital e posteriormente treinados para aplicação dos questionários. Eles entrevistaram 400 residentes distribuídos pelos bairros de Estrela, Lajeado e Teutônia. A pesquisa tem confiabilidade de 95%.

Ao todo foram aplicadas 33 perguntas, com questões voltadas para a percepção de segurança nos municípios e bairros pesquisados; grau de satisfação sobre segurança nas comunidades; e percepção da população sobre os órgãos.

Outros números sobre a segurança

- 33% dos entrevistados já sofreu algum tipo de violência
- crimes relacionados a bens são os mais frequentes
- a maioria conhece pessoas que já sofreram com furto simples em residência
- a maioria já testemunhou furtos e roubos de pedestres e furtos de veículos
- 21% dos entrevistados chamou a polícia quando sofreu alguma violência
- 52% chamariam a polícia caso sofressem alguma violência
- 72% acreditam que a violência não vai diminuir
- 68% afirmam que a segurança na sua cidade está regular ou muito ruim
- 51% pensam que a segurança no seu bairro está regular ou muito ruim
- 51% acreditam que o desempenho da Brigada Militar é bom ou muito bom
- 48% afirmam que o desempenho da Polícia Civil é bom ou muito bom
- 40% não se sentem seguros caminhando pela cidade
- 61% se sentem seguros caminhando pelo bairro
- 75% se sentem seguros dentro de suas casas
- 42% não se sentem seguros frequentando praças e parques da cidade
- 65% não se sentem seguros saindo de casa à noite
- 63% acreditam que a criminalidade não está diminuindo
- 59% dizem que suas vidas não foram afetadas pela criminalidade
- a maioria diz que uso e tráfico de drogas são as causas da criminalidade
- a maioria investe em grades e cercas elétricas como aparato privado de segurança
- a maioria acredita que o combate do tráfico de drogas é a principal solução para resolver o problema.

Em pesquisa, maioria dos professores diz que há violência nas escolas

Um dos problemas mais comuns nos últimos anos na educação é o fator violência. Para mensurar a dimensão dessa dificuldade na rede pública de ensino do Vale do Taquari, a Faculdade La Salle Estrela realizou uma pesquisa inédita no interior do Estado. Os dados mostram que 60% dos entrevistados percebem que há violência no ambiente escolar e 88% dos professores acreditam que a violência em casa influencia a violência na escola. Mesmo assim, ainda, a maioria considera a escola um local seguro.

A pesquisa

A pesquisa é da Faculdade La Salle Estrela, com apoio da Fundação La Salle e Câmara do Comércio, Indústria e Serviços (Cacis) de Estrela. Foram entrevistados 108 professores de escolas públicas das cidades de Estrela, Lajeado e Teutônia. 

Outros números sobre a Educação

- 58% dos professores relatam que o que mais os motiva no exercício de sua profissão é o agradecimento/reconhecimento por parte dos alunos
- 50% dos professores concordam que há falta frequente de professores na escola
- 83% dos professores afirmam que são reconhecidos no exercício de sua profissão pela equipe diretiva
- 60% dos professores afirmam que são reconhecidos no exercício de sua profissão pelos pais/responsáveis
- 82% dos professores sentem-se seguros para exercer suas atividades escolares
- 60% dos professores percebem que há violência no ambiente escolar
- 88% dos professores acreditam que a violência em casa influencia a violência na escola.

 


Leia Também

Cultura, solidariedade e emoção marcam Natal Solidário Languiru

14/12/2018

Evento natalino, em sua 2ª edição, será no dia 21 de dezembro

Eleitas equipes diretivas das escolas estaduais

07/12/2018

Colinas, Estrela e Imigrante conhecem novos comandos


OAB faz eleição para diretoria

23/11/2018

Estrela tem chapa única chamada OAB Unida

Violência não reduzirá, diz pesquisa

23/11/2018

Opinião foi compartilhada por maioria dos entrevistados. La Salle ouviu moradores de Estrela, Lajeado e Teutônia