Notícias

Até dia 30 para apresentar solução a famílias da Santa Rita

19/05/2017 08:33:28

O drama das famílias do Loteamento Santa Rita está próximo de terminar. O problema no abastecimento de água na localidade deveria estar resolvido desde o início de 2016, quando os 18 meses previstos no contrato assinado em junho de 2014, pela prefeitura e pela Corsan, venceram. O novo projeto apresentado mês passado prevê investimentos de R$ 65 milhões, entre eles, a extensão da rede de água, que é um dos pontos do contrato que não foi cumprido. Um inquérito civil tramita no Ministério Público (MP), que deu prazo até 30 de maio para a Corsan apresentar uma alternativa para abastecer a localidade com água potável. A indicação pelo MP foi feita em audiência com a estatal e o Executivo.
“De imediato, o abastecimento com caminhão-pipa seria a melhor opção”, afirma a superintendente da Corsan do município, Silvani Scheid. Contudo, ela explica que um estudo está sendo feito e o resultado será entregue no prazo definido pelo MP para que as famílias que residem no local tenham abastecimento até a rede de água ficar pronta.
Conforme a advogada do município, Fernanda Goerck, após a entrega do estudo, a Corsan tem até 60 dias para levar água potável aos moradores da localidade. Caso não cumpra com a determinação do MP, poderá ser penalizada. “O acordo foi feito dentro do inquérito civil, que antecede a ação civil pública”, explica.

Projeto
No dia 19 de abril deste ano, a Corsan entregou um estudo técnico conceptivo do sistema de esgotamento sanitário ao Executivo, que ainda analisa o projeto que prevê 25 anos de concessão para a companhia investir R$ 50 milhões e implementar este sistema. Além de outros R$ 15 milhões para manter e qualificar o abastecimento de água na cidade.