Notícias

Interditadas agroindústrias de origem animal de Estrela

20/04/2017 08:54:26

Fiscais do Serviço de Inspeção Municipal interditaram, na última semana, 13 estabelecimentos de Estrela que comercializam produtos de origem animal, como leite e carne. Além de agroindústrias, a ação envolveu dez açougues de minimercados. O principal motivo foi a falta de documentos que regularizam os negócios. Enquanto as exigências previstas na lei não forem cumpridas, nenhum produto de origem animal, principalmente embutidos, poderá ser fabricado.
A medida mais dura, de acordo com o prefeito Rafael Mallmann, foi necessária visto que a Secretaria Municipal da Agricultura notificou os empresários há mais de seis meses, solicitando a documentação. “A maioria dos avisos expiraram três vezes. Não queremos prejudicar nenhuma empresa, mas temos que fazer valer a lei e o bem-estar do consumidor, mesmo que o problema tenha sido de documentos.”
Conforme o secretário de Agricultura de Estrela, José Adão Braun, os fiscais do município cumpriram o que determina a legislação. Porém, ele reforça que nesta semana a maioria dos estabelecimentos, por meio do responsável técnico, já começou a providenciar os documentos e a reativação da fabricação. “O procedimento é feito em empresas de todos os segmentos. Quando se trata de alimentos o rigor é ainda maior, pois afeta o consumidor.” Destaca que mesmo sendo documentos, as exigências não podem ser desconsideradas.

Perdeu R$ 5 mil
O dono de uma agroindústria interditada, que prefere não se identificar, disse que os problemas em seu estabelecimento foram documentais, e não em relação à qualidade e à segurança alimentar dos produtos.
Conta que na terça-feira, dia 18, resolveu a situação e voltou a fabricar. Mas que os quatro dias parados foram de prejuízos. Ele calcula que perdeu R$ 5 mil em vendas. Destaca ainda que avalia fechar o negócio até o fim do ano, pois considera a fiscalização muito dura e falha na cidade. Alega também a utilização de legislação antiga para algumas das exigências.

 

Veja reportagem completa na edição impressa desta semana