Adriano Mazzarino

Coluna do Mazzarino

08/06/2017 - Adriano Mazzarino

Flores para Jaqueline Pólis, Daiane M. R. dos Santos, Araquiel Cristiane Dresch e Ana Beatriz Stroher.
 
“Nunca encontrareis a poesia se não a tiverdes dentro de vós.” (Alexander Puschkine – poeta russo)
 
Crônica
Cores, carros e a chuva...
Em um passado distante, trabalhei em uma revenda de carros. Meus serviços gerais, como o nome determinava, permitia estar em diversas frentes. O que me chamava atenção naquele período, nos catálogos que lia, era a denominação das cores que o fabricante do carro colocava ao consumidor.
O verde não era verde. O nome era verde calipso metálico. O azul vinha acrescentado do fosco pigmentado rubi. O amarelo tinha a opção cremado italiano ou o dourado espanhol. Quem escolhesse a cor vermelha tinha a possibilidade do vermelho rubi standard ou do vermelho solar metálico.
Lembrei disto nesta semana de chuvas. O  cinza do tempo penetrava nas cores branca, preto ou cinza na multidão de carros que me cercavam.
O branco oficial, o preto cerimonioso e o cinza neutro, inundam nossas ruas, rodovias, garagens e estacionamentos. Ou seja, quando tudo caminha para o múltiplo, para o plural, para o diverso, para o tudo, a indústria automobilística oferece três tipos básicos de cores ao mundo universal de consumidores.
Eu posso escolher cinco tipos de rodas, quatro modelos de volantes, dez possibilidades de rádios, oito sugestões de bancos, três formatos de motores e quatro alternativas de pneus.
Porém,  quando chega no universo das cores do carro sou induzido num formato restrito de possibilidades.
Ou seja, uma das maiores indústrias do planeta, setor que marca historicamente mudanças de comportamento da vida do homem, segmento que determina a qualidade de vida de milhões de pessoas, quer restringir o olhar colorido do consumo.
Então, quando vejo alguns artigos, palestras, entrevistas e livros afirmando que o cliente é rei, tenho minhas dúvidas.
E tenho certo preconceito quando na revenda dezenas de pequenas etiquetas e selos confirmam a qualidade de testes e sugerem  uma engenharia de excelência. E meses depois, campanhas publicitárias pedem que os clientes visitem as revendas para troca de peças.
É o que penso, saindo do carro, com meu  guarda-chuvas preto, nesta molhada semana de outono.
 
Clic/Dica 
A Banda Apple, de Estrela, será um dos shows da Suinofest, de Encantado. Será na noite do dia 16 (sexta-feira). Imperdível!
 
 
Nome de destaque
A vereadora de Porto Alegre, Nádia Gerhardt (PMDB), também conhecida como Comandante Nádia,  é pré-candidata à Assembleia Legislativa. Ela amplia seu trânsito no Estado e no Vale do Taquari. Deve ser um dos nomes destaques do PMDB na eleição de 2018. Recorte e guarde.
 
Curtas
? Não convidem para a mesma mesa o presidente do PMDB de Lajeado, Celso Cervi, e o prefeito de Santa Clara do Sul, Paulo Kohlrausch (PMDB).
 
? O PP do Vale do Taquari não deve lançar candidato a deputado estadual ou federal.
 
? Atenção vereadores de Estrela. Estamos entrando no mês seis. E aquilo que alguns candidatos em campanha prometeram, o eleitor está esperando acontecer. 
 
? O radialista Renato Worm passa a presidir o PDT de Lajeado e reúne na mesma foto Enio Bacci e Heron de Oliveira.
 
? O presidente do Tribunal de Contas, Marco Peixoto  (PP), comanda painel no Encontro de Vereadores da Avat, dia 17, na Suinofest, em Encantado.
 
? A presença da senadora Ana Amélia Lemos (PP), em Imigrante, provocou pequenos sinais de ciúmes em setores da sigla na região.
? O prefeito de Lajeado, 
Marcelo Caumo, vai mudar nomes no secretariado.
 
? Germano Stevens, de Imigrante, comanda dias 7, 8 e 9, em Foz do Iguaçu (PR), a Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais. Na abertura, estarão oito governadores. Stevens é o diretor geral da Unale.
 
? O prefeito de Teutônia, Jonatan Brönstrup (PSDB) está muito próximo do deputado estadual Lucas Redecker (PSDB) e um pouco distante de sua equipe direta. É o que ouvi.
 
? Numa cidade do Vale do Taquari, a servidora de creche é concursada há nove anos. E a pilha de atestados da sua vida funcional, somados, totalizam três anos de licenças. No período de licença, nas redes sociais, ela se mostrava saudável, alegre e festiva.
 
? Depois de dois ministros e um governador, em sete dias, é impossível não questionar o que o secretário de Saúde Elmar Schneider prepara para o segundo semestre, para Estrela. Aguardemos.
 


Leia Também

Coluna do Mazza

14/10/2017

Coluna do Mazza

09/10/2017


Coluna do Mazzarino

16/09/2017

Coluna do Mazzarino

12/09/2017