Adriano Mazzarino

Coluna do Mazzarino

12/09/2017 - Adriano Mazzarino

Flores para os leitores: Caroline Pozzoco dos Santos Diehl, Jairo Sontag, Jacson Stülp e Erno Kadress.

Acredite em milagres, mas não dependa deles.” (Immanuel Kant filósofo alemão)

Ex-vereadores e vereadores buscam na Justiça o pagamento do 13° salário

O Poder Judiciário de Estrela avalia um pedido. Alguns ex e atuais vereadores querem o 13º salário que entendem ter direito. O que a Justiça vai decidir cabe a ela dizer nos autos e na sentença. Isto compete ao juiz.

Em paralelo ao processo, está a comunidade de Estrela. Pelas manifestações na rede e contato com a coluna, diversos entendem o pedido como descabido. Por direito ou não, os citados decidiram buscar o ajuizamento.

As motivações e argumentos eles devem ter. O que se questiona é a insensibilidade e até uma certa miopia de entender a conjuntura do momento político pela qual passa o país. As pessoas estão pedindo um outro olhar sobre a coisa pública. Um  regramento mais equilibrado.

Na tribuna, no ano passado, um vereador agrediu o movimento que criticava o salário dos vereadores e sua relação com o período de trabalho. Ele mandou os críticos “pegarem no cabo da enxada”, antes de falarem dele.

A manifestação dá uma demonstração de como o setor político possui dificuldades de receber a crítica e entender que o exercício da cidadania está cada vez mais exigente na escolha do voto e no acompanhamento dos trabalhos, na tribuna e fora dela. Há uma construção coletiva cada vez maior envolvendo transparência e informação. Sob a ferramenta das redes sociais, o cidadão mostra cada vez mais exigência no filtro da coisa pública.

No meio deste debate há, ou pode haver, desinformação, excessos, distorções e maldades paroquianas; mas feito os filtros há um sinal de que o cidadão de Estrela quer mais.

Exigir dos ex-vereadores que passaram pelo Legislativo uma mudança de postura seria uma ingenuidade deste colunista. Os reeleitos da lista que expliquem as motivações para as suas bases.

O foco desta conversa é que ela sirva de reflexão aos eleitos do Legislativo atual. Alguns assumiram compromissos e fizeram promessas. E o eleitor que critica a postura dos ex-vereadores está  observando a ação e omissão dos eleitos de hoje.

Então, a síntese da conversa é que os eleitos  efetivem ações, trabalhem melhor a comunicação com a comunidade, qualifiquem a transparência e usem as possíveis críticas como GPS para o mandato de quatro anos.

O espaço está aberto para o contra-ponto e observações que os citados entenderem necessário.

Natal regional envolve quatro cidades

Estrela avança no produto Natal. A ideia deste ano é integrar quatro cidades. Uma das coordenadoras do projeto é a primeira-dama de Estrela, Carine Schwingel. Aqui ela faz um esboço do que está sendo projetado para o final de ano.

1. Por que da decisão envolvendo quatro municípios?

Porque temos muito claro que quatro municípios em conjunto poderão movimentar e atrair muito mais pessoas do que apenas uma cidade. Os quatro municípios também têm uma relação muito próxima e semelhanças, seja pela localização, pela origem e/ou características de população. A ideia este ano é de implantar a Jornada dos 3 Reis, a qual faz referência à caminhada dos três reis até encontrar o menino Jesus, cuja reprodução do nascimento será em Estrela, justamente pela singularidade do nome que remete à estrela cadente. Os quatro municípios também têm, em sua formatação geográfica, semelhança com o \'mapa\' do caminho percorrido pelos reis. Então são vários os motivos que levaram à esta união. Enquanto objetivos, desenvolver o turismo, gerar renda e riqueza para nossa gente, e fortalecer a fé e a espiritualidade. Mas, pelo exemplo de Estrela, vejo que os maiores benefícios que este investimento no Natal gera para nossa comunidade é a auto-estima e união das famílias. Antes as pessoas saíam de Estrela para visitar seus parentes. Hoje elas trazem seus parentes para visitar e se reunir em Estrela. Vejo que não há nada mais importante do que propiciarmos a reunião/união das famílias, no desenvolvimento do espírito do amor e da fraternidade.

2. Qual a maior dificuldade do projeto?

Não penso em dificuldade porque quando se tem vontade e metas, tudo é possível. E os quatro municípios têm muita vontade e todas as equipes destas administrações estão focadas em fazer o melhor pela sua comunidade. Então tudo fica mais fácil. O maior desafio é de formatar este primeiro projeto. São muitas ideias, muitas vontades, mas não há muito recurso. Então é muita criatividade e esforço coletivo, unificando agendas e atividades. E arregaçando as mangas.

3. Outras ações poderão conduzir para o formato regional?

Quanto mais diversidade conseguirmos unir, melhor será o resultado. Quando muitos trabalham, fica os resultados positivos são naturais. A partir do resultado desta primeira experiência, vamos traçar os objetivos para o próximo ano, lembrando que o crescimento se dá a partir de passos firmes, em uma base sólida. Queremos fazer bem feito, com um turismo receptivo e que as pessoas façam a Jornada e saem encantadas. A partir daí, tudo pode acontecer.

 


 Leia nosso NG online: http://jornalng.com.br/pageflip/Main.php?MagID=1&MagNo=299 Página 23



Leia Também

Coluna do Mazza

14/10/2017

Coluna do Mazza

09/10/2017


Coluna do Mazzarino

16/09/2017

Coluna do Mazzarino

12/09/2017