Janeiro Branco: pacto pela saúde mental

Janeiro Branco: pacto pela saúde mental

“Janeiro é o mês alusivo à saúde mental. Neste ano, particularmente, em tempos difíceis em função da pandemia, é muito pertinente conversarmos sobre um conceito de saúde que vai além de apenas um corpo sem doenças.
O isolamento social prolongado e a presença de um perigo constante e invisível nos afetou negativamente, principalmente nossas emoções. O medo de contrair uma doença infecciosa, o luto de entes queridos falecidos pela Covid-19 e a desesperança de um retorno à normalidade são os principais sentimentos nesta pandemia.
As pesquisas mostram que a terceira ou quarta onda não serão de infecções, serão de transtornos mentais. Depressão, ansiedade e, inclusive, suicídios, infelizmente, têm projeção de aumento.

O que podemos fazer?

Inicialmente, a auto-observação e a aceitação. O indivíduo, ao perceber que seu estado emocional não está bem, deve procurar ajuda com algum profissional de saúde, preferencialmente, especializado em saúde mental como o psicólogo ou psiquiatra.
Na etapa seguinte, ele não deve ficar preso à premissa de que “tudo voltará ao normal”. A velocidade de mudanças no mundo mudou. Antigamente, as mudanças aconteciam mais vagarosamente, permitindo uma certa previsibilidade. Hoje, atingimos uma capacidade tecnológica que acelerou os processos de mudança deixando o ser humano confuso, já que estamos perdendo, aos poucos, a segurança na previsão do que acontecerá em um futuro próximo. É importante aceitar este momento histórico e aprender a “jogar” com ele. Pessoas com estrutura mais rígida de personalidade, assim como empresas muito conservadoras, terão dificuldade em se adaptar a este panorama.
Na terceira fase, ter consciência de que não é momento de gastar muito em supérfluos. A economia ainda está muito abalada. Sendo assim, mercados que ainda não se desestruturaram podem ruir nos meses seguintes. Tenha um plano B. Cada vez mais as pessoas estão procurando uma segunda fonte de renda. Não precisamos chegar ao fundo do poço para pensar em um plano B.
Por fim, acredito na capacidade de superação do ser humano. Basta sermos criativos e amorosos!”

*Artigo de Rafael Moreno Ferro de Araújo
Coordenador do Serviço de Saúde Mental do Hospital Estrela – CRM/RS 30080

 

Campanha Janeiro Branco

Concebida pelo psicólogo mineiro Leonardo Abrahão, a Campanha Janeiro Branco ganhou vida em janeiro de 2014, quando psicólogos foram às ruas, às instituições e à mídia de Uberlândia para falarem às pessoas sobre Saúde Mental, Saúde Emocional, sentido e qualidade de vida e harmonia nas relações humanas
“O Janeiro Branco quer colocar os temas da Saúde Mental em evidência na sociedade, convocando indivíduos e instituições sociais para refletirem sobre os universos mentais, emocionais, sentimentais, comportamentais e subjetivos dos seres humanos”, explica o coordenador do Serviço de Saúde Mental do Hospital Estrela, Rafael Moreno.

Deixe uma resposta