Vendas on-line crescem no campo
Catia anuncia e faz vendas de produtos por meio das redes sociais

Vendas on-line crescem no campo

ESTRELA – Faz cinco anos que a família Facioni, de Novo Paraíso, instalou estufas de morango na propriedade. Hoje, a produção é ampla e inclui verduras e legumes, produzidos de forma orgânica. Antes da pandemia, o foco da venda era presencial na Feira de Produtores Rurais, clientes diretos que buscavam os produtos e até mesmo estabelecimentos comerciais.

Com as restrições impostas pela Covid-19, a venda pelo WhatsApp passou a ser realidade e se tornou uma rentável alternativa. Loreci Facioni cuida da produção com auxílio da filha Catia, que toma a frente da divulgação nas redes sociais.

“Comecei a fazer grupo no whats e anunciar o que tínhamos para colegas de Lajeado. Como ninguém estava saindo para fazer compras, no início da semana colocávamos o que teria disponível para entrega, as pessoas escolhiam e recebiam os kits em casa”, explica Catia. Logo, o atendimento também se estendeu a outras pessoas, que entram em contato direto com a família, o que fez as vendas aumentarem em 2020. O contato da família para adquirir os produtos é o (51) 99606-3645.

Maquininha de cartão

Outro impasse na pandemia foi o uso do dinheiro físico. Com medo de contaminação, diversos clientes passaram a solicitar que as compras pudessem ser pagas através de cartões. “Conversamos com o gerente do setor agrícola da Sicredi e pedimos a maquininha. Também começamos a usar o Pix”, destaca Catia. “É um caminho que não tem volta, até os produtores do PNAE agora também precisam ter a maquininha”, destaca a chefe do Escritório da Emater em Estrela, Tania Queiroz Stein.

Necessidade de internet no campo

Para que as tecnologias possam ser utilizadas no campo, a internet é fundamental, o que ainda não é realidade em pontos do interior. Onde mora, por exemplo, a família tem sinal de telefone apenas por uma rede e tiveram que contar com a ajuda de uma empresa para melhorar a rede fixa, que permite o uso do wi-fi. “Quando começou a aumentar o povoado, nos reunimos e fomos atrás de uma rede que viesse até aqui. A Nexsul aceitou nos atender, fez um poste ali em cima, o vizinho colocou uma antena e agora temos acesso e wi-fi”, explica Catia.
A tendência das tecnologias não parou nas vendas. “A busca pela assistência técnica remota também cresceu, porque tivemos um período em trabalho home office e foi tudo pelo WhatsApp. Isso é algo que evoluiu e vai ficar”, comenta Tania.

Mais de 400 famílias atendidas

A Emater prestou em 2020 serviços de assistência técnica e extensão rural e social a mais de 400 famílias do município.
– Crédito Rural: através do Plano Safra, foram conduzidos mais de 100 projetos de crédito, com acesso a R$ 12,8 milhões. Outros 156 croquis de gleba foram elaborados para acesso ao custeio;
– Segurança Alimentar: 50 famílias foram atendidas, o que contribui na construção de canais de comercialização, incentivo à produção para autoconsumo e fortalecimento da relação da agricultura com o mercado institucional;
– Assistência Técnica e Social (Aters): crescente número de mulheres rurais nas atividades produtivas, sendo que mais de 80 foram beneficiadas;
– Bovinocultura de Leite: atendimento a mais de 100 produtores de leite.

Deixe uma resposta