De onde vem tanto mosquito?
Aedes aegypti Mosquito. Close up a Mosquito sucking human blood.

De onde vem tanto mosquito?

ESTRELA – De onde vem tanto mosquito? Essa é a pergunta que muitos estrelenses e moradores de outras cidades do Vale do Taquari fazem com frequência este ano. Os insetos “deixaram” de ser uma visita desagradável apenas durante a noite e parecem circular com mais frequência durante o dia.
A coordenadora da Vigilância em Saúde em Estrela, Carmen Liane Hentschke, destaca que dentre os fatores relevantes para o aumento das populações de mosquitos, nos últimos anos, estão as mudanças climáticas, que geram condições cada vez mais favoráveis para a reprodução dos insetos. “Eventos de chuvas volumosas e verões mais quentes propiciam o desenvolvimento de mosquitos, favorecendo tanto a eclosão dos ovos, quanto a disponibilidade de alimento nas outras fases de vida destes insetos. Percebe-se no RS, principalmente em função dos invernos menos severos, a manutenção de populações de mosquitos que antes eram controladas pela estação fria. Sem a condição limitadora, estas populações persistem e aumentam a cada ano.”

Em casa e no trabalho

A percepção de que aumentou a presença de mosquitos, inclusive durante o dia, é confirmada pela servidora pública Christa Scheibe, de Estrela. “Isso é tanto em casa, quanto no trabalho. De dia é preciso repelente e para dormir não dá para ficar sem ventilador. Espero que com o frio esse problema diminua. Acho que deve ser por ter mais água parada ou do esgoto a céu aberto.”

Permanência em casa

Mesmo apresentando hábitos preferenciais, os mosquitos não perdem uma oportunidade. “Por viverem dentro ou próximos a locais habitados por pessoas, percebemos eles em nossas casas a qualquer hora do dia. Em tempos de pandemia e isolamento social, ficamos mais em casa durante o dia, aumentando também nossa percepção quanto a presença dos mosquitos nestes horários”, comenta a coordenadora Carmen.

Aplicação de BTI

De acordo com Carmen, o inseticida BTI foi aplicado em etapas, que finalizaram em dezembro. “Ele serve para reduzir o mosquito borrachudo, com colocação em locais com água corrente, de baixo volume. Ele é encontrado mais na área rural”, explica. A prefeitura não informou se realizará alguma ação extra de combate, além do BTI anual e da prevenção à dengue.

Que mosquito é?

Carmen explica que, apesar de existir a impressão de que os mosquitos só aparecem à noite, os do gênero Aedes são de hábito preferencialmente diurno, assim como os da família Simuliidae – conhecidos como borrachudos. “Já os mosquitos que nos importunam à noite costumam ser os do gênero Culex (conhecido como pernilongo).”

Cuidado com a dengue!

Com o aumento dos mosquitos, o cuidado deve ser redobrado para evitar a dengue. Não deixar água parada em recipientes, potes, embalagens, pneus, tratar piscinas, não jogar lixo em terrenos baldios. Para esse combate, é preciso o empenho de todos os moradores. Os trabalhadores da saúde realizam visitas de orientação às famílias e coletam larvas em pontos estratégicos, para análise.
Em janeiro e fevereiro, foram encontradas larvas do mosquito Aedes Aegypti em Imigrante. Desde então, as agentes de saúde e endemias realizam vistorias nas casas. A Administração destaca que é de fundamental importância que as solicitações feitas pelas profissionais sejam cumpridas, a fim de eliminar os locais de criação de larvas e mosquitos.

Deixe uma resposta