Em três meses, número de prisões por estupro supera o de 2020

Em três meses, número de prisões por estupro supera o de 2020

ESTRELA – Durante o ano de 2020, em Estrela, houve dois registros de estupros na Polícia Civil e, destes casos, ninguém foi preso. Em apenas três meses de 2021, já são quatro registros do crime e quatro abusadores na cadeia.
A primeira prisão ocorreu em 23 de fevereiro, e as outras três, todas em março: dias 9, 16 e 23. As vítimas tinham 7, 10, 12 e 15 anos e todas foram abusadas por pessoas do convívio familiar ou amigos próximos.
“Eu não quero causar pânico e que afastem as meninas e crianças de todo parente ou amigo homem, não é isso. Mas o fato é que a maioria dos crimes sexuais, cerca de 95%, que envolvem estupro de vulnerável (menor de 14 anos), se dá no âmbito da família, com padrasto, tio e amigos”, comenta o delegado Juliano Stobbe. Ele destaca que não vê uma explicação para o aumento dos casos, já que o crime é cíclico.

Tem relação com as aulas?

O delegado não liga os crimes à falta de aula presencial. Ele comenta, inclusive, que alguns estupros ocorreram fora do horário de aula, como no fim da tarde ou fim de semana. “Nos casos, as crianças seguiram a rotina normal delas, que é o convívio com a família e com outras pessoas que conviveriam igual se tivesse ou não a aula presencial”, comenta. “Pode ser que o fato de ficar em casa com algum cuidador ou cuidadora não tão íntima pode estimular, mas, nestes casos, não foi o que ocorreu”, destaca Stobbe.

Cuidado com seu filho

Stobbe destaca que, muito embora a pessoa seja acima de qualquer suspeita, os pais devem ficar atentos a alguns cuidados:
– Evite deixar a criança sozinha;
– Não deixe a criança tirar a roupa ou ficar sem perto de outras pessoas;
– Os pais devem orientar os filhos a contarem caso alguém passe a mão neles ou qualquer outro ato inadequado desta natureza.

Perfil dos estupradores

– Idade variada – o mais novo tinha 20 anos e o mais velho 46;
– Todos têm companheiras;
– Todos tinham convívio ou parentesco com a família;
– A maioria possuía emprego.

Entenda os casos

23 de fevereiro: o acusado, de estuprar uma menina de 7 ANOS, foi preso em sua residência, no Bairro Boa União. Ele era parente da vítima. Com autorização judicial foram captados áudio de WhatsApp que reforçaram as afirmações da vítima e familiares.

9 de março: foi preso criminoso que, no dia 28 de fevereiro, estuprou uma menina de 10 ANOS. Ele era pessoa do convívio da família, tendo ambos ficado sozinhos por alguns minutos, tempo suficiente para a prática de atos libidinosos ensejadores do estupro de vulnerável.

16 de março: feita a prisão de um homem, que é casado com a irmã da vítima, que tem 12 ANOS. Os fatos ocorreram em Estrela (onde reside a menina) e em Boqueirão do Leão (onde residem o acusado e a esposa). A criança, quando vítima dos estupros (no fim de 2020), tinha apenas 11 anos e dos abusos resultou uma gravidez que foi interrompida nesta semana, já que a vítima de estupro tem o direito de fazer o aborto pelo SUS.

23 de março: o tio de uma menina de 15 ANOS foi preso, em flagrante, quando chegava em casa após agarrar a vítima à força no trevo do Bairro Boa União. A vítima foi arrastada para o mato, teve as roupas arrancadas e as partes íntimas “alisadas”. Ela conseguiu fugir e pedir socorro a populares, momento em que o acusado escapou, mas foi preso ainda no mesmo dia.

*Todos os acusados seguem presos e o processo corre na Justiça. Caso sejam condenados, a pena pode variar de oito a 15 anos.

Deixe uma resposta